Show simple item record

dc.contributor.advisorBoeger, Walter Antonio Pereira, 1957-pt_BR
dc.contributor.authorOliveira, Rodrigo Neves dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Biológicas. Programa de Pós-Graduaçao em Zoologiapt_BR
dc.date.accessioned2011-12-22T08:28:22Z
dc.date.available2011-12-22T08:28:22Z
dc.date.issued2011-12-22
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26459
dc.description.abstractResumo: A fim de testar a extensão em que ocorre a troca de hospedeiros em Gyrodactylus anisopharynx Popazoglo et Boeger, 2000 (Platyhelminthes, Monogenoidea, Gyrodactylidae), foram testadas duas hipóteses: nula: a troca de hospedeiro não ocorreria, esperando-se encontrar um agrupamento de indivíduos próximos genéticamente em infrapopulações, formando grupos familiares com alta taxa de endogamia; alternativa: a troca de hospedeiros seria constante, e grupos familiares de G. anisopharynx estariam distribuídos aleatoriamente entre diferentes infrapopulações. Treze infrapopulações, totalizando 82 indivíduos de G. anisopharynx, foram analisadas utilizando marcadores moleculares ISSR. O baixo valor de Fst encontrado (0,003) indica um alto fluxo gênico entre as infrapopulações, sugerindo que a troca de hospedeiros ocorre continuamente. Entretanto, o alto valor de Fis (0,8) sugere uma alta endogamia nessa população de parasitos, conforme sugerido pela hipótese “nula”. A análise de reconstrução de caráter ancestral mostrou que a distribuição de grupos de parasitos próximos genéticamente sobre os hospedeiros amostrados é aleatória. Entretanto, esta distribuição está bastante próxima ao limite inferior da distribuição ao acaso. Índices de distribuição calculados para quatorze grupos familiares de G. anisopharynx amostrados também indicam um padrão de distribuição aleatório dos mesmos. Os resultados apresentados parecem indicar uma condição intermediária entre as hipóteses nula e alternativa, o que se esperaria considerando o tipo de reprodução (viviparidade) de G. anysopharynx. É possível encontrar, em um determinado momento, animais genealogicamente próximos em uma única infrapopulação, sendo um evento determinístico e esperado enquanto a transmissão para outros hospedeiros, um evento estocástico, reduz a probabilidade de encontrar esses parasitos em um mesmo hospedeiro. A troca contínua de hospedeiros (transmissão contínua) é um processo comum em G. anisopharynx e provavelmente em todas as espécies do clado de girodactilídeos vivíparos e seu padrão, inferido nesse estudo, é consistente com os pressupostos que fundamentam a hipótese de diversificação de girodactilídeos vivíparos de Boeger et al. (2003). alavras-chave: Gyrodactylus anisopharynx, troca de hospedeiro, infrapopulação, ISSRpt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectPlatielmintospt_BR
dc.subjectRelação hospedeiro-parasitopt_BR
dc.titleExtensão da troca contínua de hospedeiros em Gyrodactylus Anisopharynx (Platyhelminthes, Monogenoidea, Gyrodactylidae) utilizando marcadores moleculares ISSRpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record