Show simple item record

dc.contributor.authorFracasso, Aline Franciellept_BR
dc.contributor.otherJorge, Regina Maria Matospt_BR
dc.contributor.otherLuiz Mário de Matos Jorgept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduaçao em Tecnologia de Alimentospt_BR
dc.date.accessioned2011-12-20T08:52:23Z
dc.date.available2011-12-20T08:52:23Z
dc.date.issued2011-12-20
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26446
dc.description.abstractResumo: Este trabalho apresenta o estudo cinético comparativo do processo de hidratação de grãos para três cultivares de soja convencional (CD 215, CD 206 e BRS 232) e três cultivares transgênicas (A7321, CD 231 e D. Mario). O Brasil é o segundo maior produtor, com produção de 72,23 milhões de toneladas na safra de 2010/2011. A hidratação mostra-se importante uma vez que modifica a textura dos grãos, favorecendo a moagem e extração de seus constituintes, como a proteína, presente em grande quantidade na soja. Foram utilizados neste estudo o modelo empírico de Peleg e o modelo fenomenológico de Parâmetros Concentrados para estimar a concentração de água em grãos de soja durante sua hidratação, os quais foram obtidos a partir de um balanço de massa da água contida no grão de soja em regime transiente, considerando-se volume constante e geometria esférica. Para validar os dois modelos, foram realizadas medidas do teor de umidade de grãos de soja ao longo do tempo, por meio de imersão das cultivares em água em cinco níveis de temperatura 25°, 35°, 45°, 55° e 65°C. Posteriormente, estes dois modelos foram comparados entre si e com os parâmetros obtidos a partir de modelos publicados na literatura. Os modelos testados foram capazes de representar as principais tendências experimentais. O modelo de Peleg representou satisfatoriamente o processo de hidratação em todas as temperaturas estudadas utilizando ajustes individuais dos seus parâmetros K1 e K2. Para o modelo de parâmetros concentrados verificou-se que a concentração de equilíbrio praticamente não teve influência da temperatura, enquanto KS variou exponencialmente com o aumento da temperatura. Em média os três cultivares transgênicos apresentaram um coeficiente de difusividade aparente (Ks) 28,85% maior em comparação com o coeficiente de difusividade aparente médio para as três cultivares convencionais.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectSoja - Cultivarespt_BR
dc.subjectSoja - Hidrataçãopt_BR
dc.subjectCinetica quimicapt_BR
dc.titleCinética de hidratação de sojapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record