Show simple item record

dc.contributor.authorBurci, Lígia Mourapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Biológicas. Programa de Pós-Graduaçao em Farmacologiapt_BR
dc.contributor.otherWerner, Maria Fernanda de Paulapt_BR
dc.contributor.otherBaggio, Cristiane Hatsukopt_BR
dc.date.accessioned2011-10-24T09:54:18Z
dc.date.available2011-10-24T09:54:18Z
dc.date.issued2011-10-24
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26232
dc.description.abstractResumo: A Piper tuberculatum Jacq. pertence a família Piperaceae e é conhecida popularmente como pimenta d’ardo, jaborandi falso ou jamburana. Embora seja utilizada popularmente como estimulante digestivo e na redução dos gases intestinais, até o momento não havia nenhum estudo científico que comprovasse seu uso popular como gastroprotetor. Dessa forma, o presente estudo teve como objetivo avaliar a possível atividade protetora gástrica e esofágica da fração diclorometano obtida dos frutos de Piper tuberculatum (DCM) e de seu composto isolado a piplartina, assim como esclarecer possíveis mecanismos de ação envolvidos. A administração oral da DCM reduziu a extensão das lesões gástricas agudas induzidas por etanol e crônicas induzidas por ácido acético em ratas. Além disso, a administração da DCM pela via intraperitoneal também reduziu as lesões gástricas induzidas por etanol. Quando administrada pela via oral, A DCM foi capaz de restaurar os níveis de muco e prevenir a diminuição nos níveis de GSH, além de promover a proliferação celular. Com relação à secreção ácida gástrica, no ensaio in vitro a DCM inibiu a atividade da H+,K+-ATPase. In vivo, a DCM foi capaz de diminuir o volume e a acidez total da secreção gástrica basal, bem como aquela estimulada por pentagastrina, mas não por histamina e betanecol. Experimentos com o modelo de doença do refluxo gastroesofágico revelaram que a DCM também foi capaz de diminuir a extensão da lesão provocada pelo refluxo de ácido, além de diminuir os níveis da MPO. A piplartina também diminuiu a extensão da lesão gástrica provocada por etanol, assim como restaurou os níveis de GSH. De maneira similar à DCM, a piplartina inibiu a ação da H+,K+-ATPase in vitro e in vivo diminuiu a secreção e acidez do conteúdo gástrico em níveis basais, assim como quando da estimulação com pentagastrina. Em conjunto, os resultados obtidos sugerem que no efeito prote or gástrico e esofágico da DCM e da piplartina parece envolver a redução da secreção ácida gástrica, possivelmente pela inibição da via gastrinérgica, promovendo um aumento na proliferação celular e um restabelecimento de sistemas de proteção.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectRefluxo gastroesofagicopt_BR
dc.subjectPlantas medicinaispt_BR
dc.titleAvaliação do potencial gastroprotetor e cicratizante da fração Diclorometano e da piplartina obtidos dos frutos Piper Tuberculatum Jacq. em rataspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record