Show simple item record

dc.contributor.authorMonteiro, Sílvia Maria de Moraespt_BR
dc.contributor.otherHax Junior, Breno, 1969-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Filosofiapt_BR
dc.date.accessioned2020-05-04T20:34:41Z
dc.date.available2020-05-04T20:34:41Z
dc.date.issued2011pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/26147
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Breno Hax Jr.pt_BR
dc.descriptionDissertaçao (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Humanas, Letras e Artes, Programa de Pós-Graduaçao em Filosofia. Defesa: Curitiba, 20/04/2011pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 115-117pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentraçao: História da filosofia moderna e contemporâneapt_BR
dc.description.abstractResumo: O primeiro objetivo deste trabalho é fazer uma análise do projeto metafilosófico formulado por Wilfrid Sellars no ensaio Filosofia e a Imagem Científica do Homem (1963). Para realizar esta tarefa apresentarei os conceitos de Imagem Manifesta e de Imagem Científica. Em seguida, apresentarei o problema que advém da tensão entre as duas imagens conforme o identificou Sellars e também a noção de ‘visão sinóptica’, proposta do autor para superar a referida tensão. Situado este contexto metafilosófico, apresentarei a crítica que o autor faz à concepção da origem do conhecimento que é sustentada pela estrutura que ele chamou de ‘datidade’ - figurada no ensaio Empirismo e Filosofia da Mente (2008) através do que Sellars chamou de Mito do Dado. Para realizar esta tarefa apresentarei os conceitos de Mito do Dado, do Mito de Jones e ainda as noções de realismo científico e de nominalismo psicológico, doutrinas filosóficas assumidas pelo autor e que são essenciais ao seu projeto. Para fazer a exegese dos dois ensaios contarei com importantes interlocutores de Sellars, em particular - Alston, Bonevace, Brandom, Chisholm, McDowell e VanTriplett. Por fim, ciente da amplitude temática tratada por Sellars, tentarei evidenciar o vínculo entre a necessidade de rejeitar a ‘datidade’ com a possibilidade de se conquistar uma ‘visão sinóptica’ do ente humano no mundo, vínculo que tomei como central ao projeto sellarsiano. Um dos objetivos centrais deste trabalho é mostrar, afinal, que no desenvolvimento da sua teoria da linguagem, com o behaviorismo metodológico e o nominalismo psicológico, Sellars nos deu um ganho duplo. Primeiro, o próprio Mito de Jones – onde ele engendrou a transformação da linguagem partindo de uma sociedade behaviorista até a conquista de uma linguagem de observação, de uma fala significativa e mesmo de uma 'linguagem do pensamento' que não necessitam pressupor a ‘datidade’. Segundo, as relações entre significatividade, intencionalidade, internalidade e externalidade que emergem do Mito de Jones apontam para a fusão estereoscópica entre Imagem Manifesta e Imagem Científica sugerida por Sellars.pt_BR
dc.format.extent117f. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectDissertações - Filosofiapt_BR
dc.subjectEmpirismopt_BR
dc.subjectFilosofia da mentept_BR
dc.subjectMitopt_BR
dc.subjectFilosofiapt_BR
dc.titleO mito de Jones e o Projeto filosófico de Wilfrid Sellars : a relação entre a rejeição da datidade e a possibilidade de uma visão sinóptica de mundo.pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record