Show simple item record

dc.contributor.advisorInoue, Mário Takao, 1946-pt_BR
dc.contributor.authorGalvão, Franklin, 1952-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-06-27T14:34:38Z
dc.date.available2013-06-27T14:34:38Z
dc.date.issued2013-06-27
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26110
dc.description.abstractO presente trabalho foi conduzido nas dependências do Curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal do Paraná, com o intuito de apresentar algumas informações ecofisiológicas para plantas jovens de timbaúva - Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong.-, em relação à intensidade luminosa, temperatura ambiental e disponibilidade hídrica. Para tanto, foram instalados dois experimentos totalmente independentes, a fim de estudar os efeitos da luminosidade e temperatura de um lado e o da disponibilidade hídrica de outro na fotossíntese, transpiração, respiração, crescimento em altura e diâmetro e produção de matéria verde e seca em mudas de timbaúva. Com auxilio de um complexo de troca gasosa (FITOTRON), obteve-se as principais informações fisiológicas para ambos os estudos. Para a timbaúva, a saturação luminosa manifestou-se próximo a 40 klux, sendo que os maiores quantitativos da capacidade fotossintética foram obtidos a 22°C, quando exposta ás luminosidades de 10 a 40 klux. Entretanto, sob baixa intensidade luminosa (2 klux), o melhor desempenho ocorreu a 15°C. O melhor índice da eficiência da transpiração foi observado a 15 klux, independentemente da temperatura. Detectou-se ainda, que a respiração e transpiração foram incrementadas com o aumento da temperatura, porém o coeficiente econômico aparente apresentou um comportamento inverso. Observou-se que a fotossíntese líquida foi reduzida com o aumento da tensão da seiva, sendo que os maiores valores foram registrados próximo à capacidade de campo. A respiração assim como o coeficiente econômico aparente foram reduzidos com o aumento da tensão da seiva. O incremento em altura mostrou-se sensível a tensões superiores a 1,34 bar e o diâmetro do colo a 5,70 bar. Concluiu-se que a regeneração da timbaúva poderá ser conduzida sob um regime de alta intensidade de luz e em condições de solo que ofereça boa disponibilidade de água e nutrientes.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEssencias florestaispt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleContribuiçao para a auto-ecologia de Enterolobium contortisiliquum (Vell)Morong (Timbaúva)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record