Show simple item record

dc.contributor.authorGomes, Rebeca Amélia Toassapt_BR
dc.contributor.otherCat, Izrailpt_BR
dc.contributor.otherGiraldi, Dinarte Josépt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Saúde. Programa de Pós-Graduaçao em Saúde da Criança e do Adolescentept_BR
dc.date.accessioned2012-05-07T13:01:05Z
dc.date.available2012-05-07T13:01:05Z
dc.date.issued2012-05-07
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25934
dc.description.abstractResumo: O aumento da permeabilidade capilar faz parte das alterações precoces que ocorrem na resposta inflamatória sistêmica a um insulto. A microalbuminúria tem sido estudada como um possível marcador na avaliação da permeabilidade capilar sistêmica. Objetivo: Correlacionar a microalbuminúria com os escores PIM e PRISM na admissão e vinte e quatro horas após a internação na UTIP, para avaliar a microalbuminúria como um possível marcador de gravidade em pacientes pediátricos gravemente doentes. Metodologia: Estudo prospectivo, longitudinal, tipo observacional de 74 pacientes admitidos na UTI Pediátrica do Hospital de Clínicas (UFPR) entre 22 de junho a 12 de dezembro de 2005. De acordo com o que motivou a internação, os pacientes foram subdivididos em pacientes clínicos (grupo I) e cirúrgicos (grupo II). Numa segunda análise, foram divididos quanto a sua evolução clínica, em pacientes que receberam alta hospitalar (grupo A) e os que foram a óbito (grupo B). Foram colhidos, de todos os pacientes, a microalbuminúria (por meio do método DCA 2000® ou Clinitek 50®), gasometria arterial, perfil bioquímico, dados do exame físico e também aplicados os escores de mortalidade PIM e PRISM, tanto na admissão (zero hora) como em 24 horas após a internação na UTIP. Resultados: Houve óbitos apenas nos pacientes do grupo I, que realizaram o método da coleta de microalbuminúria pelo DCA 2000®, limitando a análise. A microalbuminúria mostrou ter uma boa sensibilidade e especificidade (curva ROC) em predizer o óbito, principalmente na dosagem de 24 horas após a admissão. Os escores PIM e PRISM também demonstraram ser bons marcadores, sendo o PIM o que melhor prediz o óbito na admissão do paciente na UTI. Conclusões: A microalbuminúria evolutiva, detectada precocemente, pode estar correlacionada com as alterações de permeabilidade capilar presentes na resposta inflamatória sistêmica. A microalbuminúria de 24 horas pode determinar com maior exatidão os pacientes que evoluem para óbito.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectAlbuminuriapt_BR
dc.subjectUnidades de terapia intensiva pediatricapt_BR
dc.subjectPrognósticopt_BR
dc.subjectEstudo Comparativopt_BR
dc.subjectMedição de riscopt_BR
dc.subjectCriançaspt_BR
dc.titleMicroalbuminuria como preditor de prognóstico comparado com os escores PIM e Prism em crianças admitidas na UTI Pediátricapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record