Show simple item record

dc.contributor.authorRamos, Simone Eloisa Villanueva de Castropt_BR
dc.contributor.otherGandara, José Manoel Gonçalvespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra. Programa de Pós-Graduaçao em Geografiapt_BR
dc.date.accessioned2013-11-14T12:03:05Z
dc.date.available2013-11-14T12:03:05Z
dc.date.issued2013-11-14
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25919
dc.description.abstractResumo: Motivada pela carência de estudos sobre dinâmica da hotelaria, a presente tese tem como objetivo analisar a relação entre a evolução histórica e a dinâmica da localização da hotelaria da cidade de Curitiba, no período de 1966 a 2008. Dois momentos da industrialização da cidade foram utilizados como marcos na análise dos dados: criação da Cidade Industrial de Curitiba (CIC), em 1973; e a instalação das montadoras automobilísticas na região metropolitana de Curitiba, em 1995. As reflexões teóricas baseiam-se, sobretudo, nos modelos de localização de hotéis em destinos urbanos, principalmente o modelo de cidade histórico-turística de Bustenshaw, Bateman e Ashworth (1981), o modelo de cidade turístico-histórica de Ashworth e Tunbridge e o modelo de hierarquia da localização de hotéis de Egan e Nield (2000). Foram aplicadas a abordagem metodológica empírico-analítica e a revisão de literatura/discussão conceitual, e os dados foram obtidos por meio de pesquisa bibliográfica e documental, como também a partir dos Guias 4 Rodas, publicados de 1966 a 2008. Verificou-se que a criação da CIC alterou a característica dos hotéis em seu espaço interno, como, por exemplo, passou a ofertar salas de eventos. No que se refere à instalação das montadoras automobilísticas na região metropolitana de Curitiba, a partir de sua implantação, os hotéis passaram a se dispersar do centro, mais próximos dos seus limítrofes, principalmente em direção ao Bairro Batel e saída para a Cidade Industrial de Curitiba e saída/chegada de Porto Alegre e interior do Paraná e na direção dos bairros Rebouças e Jardim Botânico, onde se localiza a Rodoferroviária, saída/entrada do Sul do Brasil, São José dos Pinhais, onde estão localizadas as montadoras e o aeroporto. Por fim, ao aplicar os modelos de localização espacial de hotéis, observou-se que os hotéis localizados na cidade de Curitiba apresentam distribuição particular, com concentração no CBD (central business district), independentemente da categoria na qual eles foram classificados, formando amálgama de hotéis em Curitiba. A aplicação do modelo de cidade histórico-turística de Bustenshaw, Bateman e Ashworth (1981) foi corroborada pelos hotéis, que ficam próximos ao centro histórico, e pelas vias de acesso. Na aplicação do modelo de cidade turístico-histórica de Ashworth e Tunbridge, a cidade de Curitiba não se encaixa em nenhum dos modelos apresentados pelos autores, sendo então detectado o modelo de cidade turístico-histórica da capital paranaense. Quanto ao modelo de hierarquia da localização de hotéis de Egan e Nield (2000), ele foi refutado, pois os hotéis de Curitiba não seguem uma ordem de localização. E os cinco, quatro, três e duas estrelas se entremeiam, não havendo maior concentração de uma determinada categoria que corrobore o modelo circular defendido pelos autores, ficando evidenciada a particularidade da hotelaria na capital paranaense. Ficou comprovado que a criação da CIC não afetou a localização da hotelaria, enquanto a instalação de montadoras automobilísticas e a mudança nos serviços decorrentes desse advento dispersaram espacialmente a hotelaria curitibana para bairros próximos ao centro, com volume de hotéis localizados próximos aos acessos para a CIC.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleA dinâmica da localização da hotelaria curitibana no período de 1966 a 2008.pt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record