Show simple item record

dc.contributor.authorCelli, Giovana Bonatpt_BR
dc.contributor.otherPereira Netto, Adaucto Bellarmino de, 1962-pt_BR
dc.contributor.otherBeta, Trustpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduaçao em Tecnologia de Alimentospt_BR
dc.date.accessioned2011-06-20T13:14:25Z
dc.date.available2011-06-20T13:14:25Z
dc.date.issued2011-06-20
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25783
dc.description.abstractResumo: A melhor caracterização dos atributos fisiológicos e bioquímicos de frutos da pitangueira deverá aumentar significativamente o apelo comercial destes frutos. A determinação do perfil de flavonóides durante o desenvolvimento de frutos da pitangueira é extremamente importante para a indústria de alimentos já que permite prever o melhor estádio de colheita e o processamento dos frutos para garantir que o produto comercial contenha quantidades consideráveis destes compostos funcionais. Os objetivos deste estudo foram caracterizar o perfil de flavonóides durante os estádios de desenvolvimento de frutos de uas variedades de pitangueira (vermelha e roxa) e o comportamento fisiológico de frutos tratados com etileno e seus inibidores. Frutos no estádio verde apresentaram a maior atividade antioxidante, medida como atividade sequestradora de DPPH• (17,18 e 18,13 mmol equivalentes de Trolox/100 g de fruto seco para as variedades vermelha e roxa, respectivamente), e também o maior conteúdo de fenólicos totais (4,14 e 5,18 g de equivalentes de ácido ferúlico/100 g de fruto seco para as variedades vermelha e roxa, respectivamente). O uso de espectrometria de massas permitiu a identificação de cianidina 3-O-glucosídeo, miricetina 3-O-hexosídeo, miricetina 3-O-pentosídeo, miricetina 3-O-ramnosídeo, quercetina 3-O-hexosídeo, quercetina 3-O-pentosídeo, quercetina 3-O-ramnosídeo e miricetina deoxihexosídeo-galato em ambas as variedades de pitangueira. O etileno acelerou o amaciamento e a coloração de frutos comparados ao controle, enquanto frutos tratados com aminoetoxivinilglicina (inibidor da biossíntese) e tiossulfato de prata (inibidor da ação do etileno) apresentaram atraso no esenvolvimento de cor e amadurecimento. Os dados deste estudo indicam que frutos da pitangueira são ricos em antioxidantes naturais e sugerem a possibilidade de manipular o amadurecimento destes frutos. Espera-se estimular uma maior utilização destes frutos, pela população em geral e pela indústria de alimentos, como fonte de fitoquímicos bioativos promotores da saúde humana.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectPitangueirapt_BR
dc.subjectFlavonoidespt_BR
dc.titleComportamento fisiológico e bioquímico de frutos da Pitangueira (Eugenia Uniflora L.): características de interesse para o consumo humano.pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record