Show simple item record

dc.contributor.authorVieira, Wylliam de Limapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Biológicas. Programa de Pós-Graduaçao em Botânicapt_BR
dc.contributor.otherBoeger, Maria Regina Torrespt_BR
dc.contributor.otherCosmo, Nelson Luizpt_BR
dc.contributor.otherCoan, Alessandra Ikept_BR
dc.date.accessioned2011-06-15T13:37:42Z
dc.date.available2011-06-15T13:37:42Z
dc.date.issued2011-06-15
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25675
dc.description.abstractResumo: As espécies arbóreas, durante o seu crescimento, sofrem ajustes morfológicos e anatômicos devido às variações microclimáticas ao longo do gradiente vertical a que são impostas. O objetivo deste estudo foi analisar comparativamente as variações morfológicas e anatômicas das folhas de quatro espécies arbóreas tolerantes à sombra de um fragmento de Floresta Ombrófila Mista em dois estágios de desenvolvimento. Pretendeu-se investigar se as espécies dentro de um mesmo estágio de desenvolvimento apresentam as mesmas características morfológicas, uma vez que se encontram sob as mesmas condições microclimáticas. As folhas foram coletadas num remanescente de Floresta Ombrófila Mista, pertencente à Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR (25º26’53”S e 49º14’26”W). Foram selecionadas as espécies Allophylus edulis (St.-Hil.) Radlk (Sapindaceae), Casearia sylvestris Sw. (Salicaceae), Cupania vernalis Cambess. (Sapindaceae) e Luehea divaricata Mart. (Malvaceae), em dois estágios de desenvolvimento: estágio jovem e estágio adulto. A altura e o diâmetro do caule na altura do peito (DAP) e do colo foram medidos em indivíduos arbóreos adultos e jovens respectivamente. Em cada indivíduo arbóreo, folhas entre o terceiro e sexto nó, sentido ápice-base foram coletadas para avaliação das seguintes características morfológicas: massa seca, área, área foliar específica, comprimento da lâmina, largura da lâmina, razão comprimento/largura, densidade, densidade estomática, espessura total da lâmina, espessura da epiderme das faces adaxial e abaxial, espessuras do parênquima paliçádico e esponjoso e razão espessura parênquima esponjoso/paliçádico. Os resultados mostraram que entre os estágios de desenvolvimento as quatro espécies apresentaram maiores valores para área foliar específica e a razão parênquima esponjoso/paliçádico no estágio jovem e maiores valores para densidade estomática, espessura total da lâmina e espessura do parênquima paliçádico no estágio adulto. A análise dos componentes principais mostrou que as espécies não apresentaram o mesmo padrão entre os estágios e que os dois primeiros componentes, área foliar específica e a área foliar, explicaram 77% da variância total no estágio adulto e massa seca foliar e área foliar específica explicaram 74% da variância, no estágio jovem. O índice de plasticidade mostrou que L. divaricata apresentou maior plasticidade tanto para as variáveis morfológicas e anatômicas e A. edulis apresentou o menor índice de plasticidade. Os resultados obtidos nesse estudo indicaram que as folhas das espécies estudadas apresentaram diferentes estratégias, frente aos fatores ambientais atuantes em cada estágio de desenvolvimento.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectFolhas - Anatomiapt_BR
dc.subjectFolhas - Morfologiapt_BR
dc.titleVariações estruturais foliares de quatro espécies arbóreas em dois estágios de desenvolvimento num remanescente de floresta ombrófila mistapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record