Show simple item record

dc.contributor.authorGalvan, Gabrieli Limbergerpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Biológicas. Programa de Pós-Graduaçao em Ecologia e Conservaçaopt_BR
dc.contributor.otherCestari, Marta Margarete, 1959-pt_BR
dc.contributor.otherYamamoto, Carlos Itsuopt_BR
dc.date.accessioned2011-05-11T13:09:19Z
dc.date.available2011-05-11T13:09:19Z
dc.date.issued2011-05-11
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25590
dc.description.abstractResumo: A degradação da qualidade da água pelo despejo de efluentes vem colocando em risco a saúde dos organismos, inclusive das populações humanas, sendo um problema ambiental de escala global. Os efluentes provenientes dos laboratórios das instituições de ensino e pesquisa, mesmo sendo compostos por misturas complexas, são raramente avaliados e fiscalizados por orgãos ambientais. Desta forma, o presente estudo objetiva avaliar os efeitos genotóxicos em indivíduos de Astyanax altiparanae expostos aos efluentes químicos pré e pós-tratamento, provenientes de laboratórios do Departamento de Engenharia Química da Universidade Federal do Paraná, através da técnica do ensaio cometa e teste do micronúcleo (MN) e alterações morfológicas nucleares (AMN). Os peixes foram expostos às concentrações de 10%, 50% e 100% do efluente bruto (EB) e do efluente tratado (ET) pelo período de 96 horas, foram utilizados 60 peixes por concentração do contaminante, sendo amostrados 15 indivíduos a cada 24 horas. O ensaio cometa foi avaliado em eritrócitos e células branquiais. As freqüências de micronúcleo (MN), alterações morfológicas nucleares (AMN) e eritrócitos imaturos (EI) foram analisadas em eritrócitos. Os resultados obtidos através do ensaio cometa indicam que em todas as concentrações e períodos de exposição, ambos os efluentes induziram danos no material genético dos tipos celulares avaliados. Tanto nos eritrócitos quanto nas células branquiais houve redução do efeito genotóxico no tempo de 48 horas na concentração de 10%. De maneira geral, o ET apresentou maior potencial genotóxico do que o EB nas concentrações de 50% e 100%. Foram obtidas baixas freqüências de MN e AMN, sendo observado decréscimos nas freqüências de MN em todos os grupos contaminados no tempo de 72 horas e nas freqüências de AMN nos grupos contaminados com os efluente tratado nos tempos de 24 e 48 horas e decréscimo na freqüência de EI em todos os tratamentos. Ambos os efluentes induziram danos no material genético e apresentaram caráter citotóxico, evidenciando que os efluentes avaliados causam risco ao ecossistema.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectAguas residuais - Analisept_BR
dc.subjectAstyanax (Peixe)pt_BR
dc.subjectCharacideopt_BR
dc.titleAvaliação genotóxica de efluentes químicos de laboratórios de instituição de ensino e pesquisa utilizando como bioindicador o peixe Astyanax altiparanae (Characidae)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record