Show simple item record

dc.contributor.authorHedler, Ana Paulapt_BR
dc.contributor.otherCervi, Emerson Urizzipt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Humanas, Letras e Artes. Programa de Pós-Graduaçao em Ciência Políticapt_BR
dc.date.accessioned2011-05-05T12:19:30Z
dc.date.available2011-05-05T12:19:30Z
dc.date.issued2011-05-05
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25564
dc.description.abstractResumo: O objetivo do trabalho é analisar se as políticas públicas para mulheres apresentadas nos dois Planos Nacionais de Políticas para Mulheres existentes desde 2004, no Brasil, são veiculadas no jornalismo diário brasileiro e como essa cobertura jornalística é realizada. O trabalho procura verificar se as políticas femininas estão nas páginas dos jornais, porque entende-se que os meios de comunicação de massa têm o poder de colocar em debate assuntos de grande relevância social. Pergunta-se: as mudanças que ocorreram nas políticas para mulher e que, conseqüentemente, atingem a sociedade em geral são debatidas pelos meios de comunicação de massa? Para respondê-la, a pesquisa utiliza a teoria do e quadramento de reportagens organizada por Porto (2001), os estudos sobre a tematização das notícias e a hipótese do agenda-setting, além dos trabalhos sobre a visibilidade da mulher na mídia realizados por Tuchman (1978) e por Buitoni (2009). A metodologia empregada é Análise de Conteúdo, pois acredita-se que por ser uma técnica que une a análise quantitativa e com a interpretação qualitativa dos dados pode auxiliar de forma mais aprofundada e explicativa. O período da pesquisa compreende todas as edições dos meses de gosto, setembro e outubro de 2005 a 2008 nos jornais Gazeta do Povo e Folha de S.Paulo.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleMulher e mídiapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record