Show simple item record

dc.contributor.authorCosta, Gustavo Góespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Biológicas. Programa de Pós-Graduaçao em Genéticapt_BR
dc.contributor.otherRibeiro, Enilze Maria de Souza Fonseca, 1958-pt_BR
dc.contributor.otherCavalli, Iglenir Joãopt_BR
dc.date.accessioned2011-04-25T11:56:29Z
dc.date.available2011-04-25T11:56:29Z
dc.date.issued2011-04-25
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25523
dc.description.abstractResumo: O tecido mamário é controlado por um sistema complexo, envolvendo hormônios, que atuam através de seus receptores, e diversos fatores locais. As estruturas anatômicas do tecido mamário podem ser modificadas devido a fatores como a multiparidade, idade, estado pré-menstrual e terapia de reposição hormonal. Portanto, compreender os fatores e mecanismos que regulam as mudanças dependentes de hormônios no tecido mamário é crucial, pois alterações na estrutura da mama e suas funções durante o ciclo menstrual podem predispor este tecido ao desenvolvimento de doenças mamárias, incluindo o câncer. O câncer de mama é o tipo mais comum de câncer em mulheres. É o quinto tipo de câncer em mortalidade no mundo, devido principalmente pela detecção no estágio avançado da doença. A abordagem proteômica é um campo promissor que possui diversas aplicações potenciais, incluindo a identificação de biomarcadores para o diagnóstico, o prognóstico e a terapêutica. O objetivo deste estudo foi a análise proteômica de tecido mamário não tumoral de seis pacientes acometidas pelo câncer de mama, obtendo informações para a caracterização deste tecido e fornecendo dados para a análise comparativa com tecido de carcinomas mamários. A análise dos géis bidimensionais foi realizada no programa ImageMasterTM 2D Platinum v6.0. Setenta bandas foram removidas manualmente, digeridas in gel e submetidas à identificação por PMF na plataforma MASCOT. Esta identificação resultou em 44 proteínas diferentes distribuídas em nove categorias: Citoesqueleto e proteínas associadas (29%); Proteínas com funções de ligação (27%); Enzimas metabólicas (11%); Chaperonas moleculares / proteínas heat shock (7%); Detoxificação e proteínas redox (5%); Proteínas membrana-associadas com múltiplas atividades (5%); Crescimento celular e reguladores de proliferação (5%); Degradação protéica (2%); e Proteínas com outras funções (9%). Algumas destas proteínas têm função no controle da proliferação celular e adesão, podendo atuar na tumorigênese quando sua expressão é alterada. Portanto, a análise comparativa não deve se limitar ao estudo das proteínas expressas isoladamente em um dos tecidos, mas também considerar a variação da sua expressão. Estas informações são importantes para a caracterização do proteoma do tecido mamário não tumoral e posterior análise comparativa com tecido de carcinoma mamário.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectMamas - Cancerpt_BR
dc.titleAnálise proteômica de tecido mamário não tumoral em pacientes com câncer de mamapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record