Show simple item record

dc.contributor.authorMaciel, Otília Beatrizpt_BR
dc.contributor.otherMeier, Marineli Joaquimpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagempt_BR
dc.date.accessioned2013-09-19T13:34:39Z
dc.date.available2013-09-19T13:34:39Z
dc.date.issued2013-09-19
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25518
dc.description.abstractResumo: A úlcera por pressão (UP) se caracteriza por áreas de danos localizado na pele e tecidos subjacentes causado por pressão, cisalhamento, fricção e ou uma combinação destes. Este agravo causa ao paciente dor, desconforto, interfere na qualidade de vida, favorece o aumento no tempo de permanência hospitalar, aumento de custos e desqualificação do cuidado prestado. OBJETIVO: Descrever a evolução das úlceras por pressão de estágio I (UPI) para úlcera por pressão estágio II (UPII) utilizando o filme transparente de poliuretano (FTP) na região dos calcâneos de pacientes hospitalizados em unidades críticas. MATERIAIS E MÉTODO: Trata-se de um estudo de validação. O período de coleta de dados foi de 6,5 meses com uma amostra final composta por 27 pacientes. Os pacientes com úlcera por pressão em estágio I receberam o filme transparente de poliuretano, diariamente foram realizados exames físicos dos sítios corpóreos selecionados e avaliados quanto à presença de úlceras por pressão e seus estágios, a ermanência do filme transparente de poliuretano e sinais de reação adversa, estes foram acompanhados até o agravo ou regressão da lesão, alta hospitalar ou óbito. RESULTADOS: O tempo de companhamento dos pacientes variou de 3 a 41 dias de avaliações diárias, média de 10 dias. Entre os 27 pacientes avaliados 63% (17) do sexo masculino e 37% (10) do sexo feminino. A média de idade foi de 63 anos. As patologias causadoras da hospitalização foram diversas, destacando-se insuficiência cardíaca congestiva e acidente vascular cerebral. Quanto à variável de desfecho, 26% apresentaram a regressão da ÚP l da região dos calcâneos, 33% evoluíram para UP II e 41% dos participantes do estudo foram censurados por alta hospitalar ou óbito durante as avaliações. Entre os pacientes que tiveram agravo da UP, o tempo mediano livre de agravo da UP (evolução para UPII), com o uso do filme transparente de poliuretano (FTP), foi igual a 6 dias, sendo o mínimo de 3 dias e o máximo de 25 dias. O tempo médio de permanência do filme foi igual a 3,1 dias com desvio padrão de 1,8 dia, sendo o mínimo igual a 1 e o máximo igual a 8 dias. CONCLUSÕES:A úlcera por pressão estágio I na região dos calcâneos não permaneceu estável com o uso do filme transparente de poliuretano. Não se observou significância estatística nos testes efetuados. Sugere-se dar continuidade a esta pesquisa para comprovar ou refutar os resultados apresentados com studos comparativos.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.subjectÚlcera por pressãopt_BR
dc.titleA validação do uso de filme transparente de poliuretano nas úlceras por pressão de estágio I na região de calcâneospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record