Show simple item record

dc.contributor.advisorTomaselli, Ivanpt_BR
dc.contributor.authorSevero, Elias Taylor Durgantept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-05-29T16:57:45Z
dc.date.available2013-05-29T16:57:45Z
dc.date.issued2013-05-29
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25400
dc.description.abstractO objetivo do presente estudo foi desenvolver tecnologia apropriada para disponibilidade e utilização da madeira de Eucalyptus dunnii como alternativa para a indústria de madeira sólida. Para isso, inicialmente foi realizado um tratamento de anelamento com motosserra e posteriormente uma vaporização de 20 horas nas toras (100°C/100% umidade relativa) visando o alívio das tensões de crescimento. A avaliação destes tratamentos foi realizada através de análise da forma como estas tensões se manifestam na madeira, ou seja, rachaduras e aberturas das tábuas em relação a tora durante o desdobro. Posteriormente realizou-se um estudo, em estufa elétrica de laboratório, sobre o efeito da vaporização inicial na secagem da madeira nas diversas variáveis deste processo. Avaliou-se ainda, o comportamento de secagem desta espécie em estufa convencional piloto utilizando-se três programas de secagem. Cada programa de secagem teve uma vaporização inicial de 3 horas e uma vaporização de 5 horas para recuperação do colapso quando a madeira encontrava-se a 17% de umidade. Como parte do estudo, avaliou-se ainda o efeito do tratamento de vaporização sobre as propriedades mecânicas da madeira desta espécie. Os resultados mostram que o anelamento e vaporização das toras proporcionaram a liberação de grande parte das tensões de crescimento, sem contudo eliminá-las por completo e que este tratamento é efetivo e recomendável para liberação das tensões de crescimento. A vaporização inicial da madeira demonstrou ser efetiva na redução do teor de umidade inicial, gradiente de umidade e no aumento da taxa de secagem desta espécie. Contudo, este tratamento proporcionou um aumento na contração volumétrica e colapso da madeira. Entre os programas de secagem utilizados, somente o programa considerado mais suave, apresentou um bom resultado em termos de qualidade de madeira seca, além de apresentar um tempo considerado muito reduzido, cerca de 180 horas (7,5 dias) para secar tábuas de 2,4 mm de espessura desde 80,2% até 12% de umidade final. Entre as propriedades mecânicas da madeira, com exceção do módulo de elasticidade (MOE) em flexão estática, que apresentou aumento com a prévaporização (madeira vaporizada em tora por 20 horas e novamente vaporizada por 3 horas) na condição saturada e o esforço no limite proporcional (ELP) em compressão perpendicular às fibras que não se alteraram-se com a pré-vaporização, as demais propriedades, ou seja, tensão no limite proporcional (TLP) e módulo de ruptura (MOR) em flexão estática, resistência máxima (Rmáx.) em compressão paralela às fibras e resistência máxima (Rmáx.) ao cisalhamento no sentido radial e tangencial, foram reduzidos com a pré-vaporização na condição climatizada. Já a TLP e o MOR em flexão estática mostraram reduzir com a prévaporização também na condição saturada.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectMadeira - Secagempt_BR
dc.subjectEucalyptus dunniipt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleEstudo sobre o efeito da vaporização nas propriedades e comportamento de secagem da madeira de Eucalyptus dunnii Maidpt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record