Show simple item record

dc.contributor.advisorSoares, Ronaldo Viana, 1943-pt_BR
dc.contributor.authorNunes, Maria de Lourdespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-07-19T20:08:01Z
dc.date.available2013-07-19T20:08:01Z
dc.date.issued2013-07-19
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25214
dc.description.abstractEste trabalho objetivou caracterizar e comparar a arborização de ruas das cidades de Apucarana e Cascavel, no Paraná; analisar as necessidades de manejo relativas às podas leve e pesada, remoção de árvores e danos físicos provocados por poda; verificar a existência de correlação entre estas necessidades e outras características das árvores e plantios em cada cidade. Os dados de Apucarana e Cascavel foram coletados em 1992 e 1994, respectivamente. Para o diagnóstico da situação da arborização das cidades foi utilizado o inventário qualitativo por amostragem aleatória. As unidades de amostra foram estabelecidas com dimensões de 250 X 500 m em Apucarana e 200 x 500 m em Cascavel. Foram consideradas como amostras potenciais aquelas com pelo menos 50% da extensão total de ruas arborizadas. Estabelecendo-se um limite de erro de 10% e probabilidade de 95%, resultou-se 16 amostras medidas em Apucarana e 15 em Cascavel. As informações sobre a arborização foram coletadas em formulário específico e foram utilizados os valores médios dos dacJos qualitativos e os valores percentuais dos dados quantitativos das espécies em comum com freqüência acima de 1%. Em Apucarana (68 espécies arbóreas) encontrou-se 15 espécies, representando 91,03% da população total e em Cascavel (61 espécies), encontrou-se 17, representando 86,28%. Nas duas cidades apenas uma espécie ultrapassou a freqüência máxima (15%) recomendada. Em Apucarana, foi Caesalpinia peltophoroides com 42,8%, dos quais, 26,33% provenientes de plantio irregular e em Cascavel, Ligustrum cf japonicum, com 35,34%, dos quais apenas 2,81% eram de plantio regular. A condição média da população arbórea de Apucarana foi de 1,4 (entre boa e satisfatória) e de 1,9 (satisfatória) para Cascavel. Das árvores sob fiação medidas em Apucarana, 35,98% apresentou necessidade de poda leve e 2,86% de poda pesada; do total de árvores amostradas, 3,43% deveria sofrer remoção do local. Incluídas todas as árvores de rua de Cascavel, 25,65% apresentaram necessidade de poda leve e 7,26% de poda pesada. Em ambas as cidades a espécie com melhor situação média de compatibilidade entre porte e espaço foi Tabebuia chrysotricha com 1,0 e a espécie com pior situação foi Grevillea robusta com 2,3. Esta também apresentou os maiores percentuais de,danos físicos por poda. Concluiu-se que na arborização de ruas de ambas as cidades, quanto maior o porte das árvores (diâmetro de copa, CAP e altura), maior a ocorrência de danos físicos causados por poda; Em Apucarana, quanto maior esta ocorrência, maior a necessidade de poda leve. Em Cascavel, quanto maior a distância da projeção da fiação, e quanto pior a condição das árvores, maior a necessidade de remoção das mesmas. Esta necessidade aumenta quanto menor a distância entre as árvores a as construções. Já quanto melhor a compatibilidade entre porte e espaço para a espécie, maiores a necessidade de poda leve. Recomenda-se, por fim, a elaboração de programas eficientes que garantam o manejo efetivo e constante da população de árvores de rua nestas cidades.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectArborização das cidadespt_BR
dc.subjectEnergia eletrica - Transmissãopt_BR
dc.subjectArborização das cidades - Apucarana (PR)pt_BR
dc.subjectArborização das cidades - Cascavel (PR)pt_BR
dc.subjectPodapt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleAvaliação das necessidades de manejo e compatibilidade entre a arborização de ruas e redes de energia em Apucarana e Cascavel - Paranapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record