Show simple item record

dc.contributor.authorFrois, Sérgio Ribeiropt_BR
dc.contributor.otherAbate, Gilbertopt_BR
dc.contributor.otherGrassi, Marco Tadeupt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Exatas. Programa de Pós-Graduaçao em Químicapt_BR
dc.date.accessioned2011-02-10T11:41:51Z
dc.date.available2011-02-10T11:41:51Z
dc.date.issued2011-02-10
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25105
dc.description.abstractResumo: As fases minerais vermiculita (VT) e montmorilonita-K10 (MT), previamente tratadas em meio ácido e saturadas com íons K+, foram empregadas em um estudo de sorção e dessorção das espécies de Cr(III) e Cr(VI) para fins de concentração e de especiação. O Cr(III) foi sorvido em torno de 100% para as duas fases minerais estudadas. O Cr(VI) não foi sorvido significativamente por esses materiais, ficando na fase sobrenadante, viabilizando assim a possibilidade de especiação em efluentes e em águas naturais utilizando as fases minerais vermiculita ou montmorilonita saturadas com íons K+. Foi utilizado o método padrão empregando o reagente 1,5-difenilcarbazida (DFC), como forma de quantificação das espécies de Cr(III) e Cr(VI). Foi investigado o valor de pH para o processo de sorção, tempos de contato para a sorção e dessorção e a massa das fases minerais. As melhores condições observadas foram: valores de pH próximos de neutro, tempo de contato em torno de 1 minuto e massas das fases minerais entre 0,025 e 0,100 g. Para o estudo do processo de dessorção do Cr(III), foi utilizado ácido nítrico em concentração de 2,0 mol L-1 sendo empregado tempo de contato de 10 minutos sob agitação. Pelo processo de essorção, a MTK-K10 em meio ácido, possibilitou a recuperação do Cr(III) em torno de 89%, contudo, a VTK liberou uma série de interferentes o que inviabilizou a quantificação pelo método da DFC. As fases minerais VTK e MTK-K10, foram também utilizadas com o objetivo de realizar análise de especiação, onde o Cr(III) foi totalmente sorvido, sendo o Cr(VI) determinado em solução utilizando a técnica de spectrometria de Emissão Ótica em Plasma Indutivamente Acoplado (ICP-OES). O Cr(VI) foi recuperado livre de sorção em torno de 100%, comprovando a ótima performance dos minerais como especiadores. inda para fins de comparação dos métodos analíticos de referência e proposto, foram avaliadas quatro amostras de efluentes aquosos, utilizando a MTK-K10 como fase sorvente, sendo obtidos resultados bastante atisfatórios.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleUtilização de fases minerais direcionadas para a concentração e especiação de íons Cr(III) e Cr(VI)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record