Show simple item record

dc.contributor.authorRebola, Paulapt_BR
dc.contributor.otherLeite, Neivapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Educação Físicapt_BR
dc.date.accessioned2018-03-19T13:07:45Z
dc.date.available2018-03-19T13:07:45Z
dc.date.issued2010pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/24968
dc.descriptionOrientadora : Profa. Dra. Neiva Leitept_BR
dc.descriptionDissertaçao (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Biológicas, Programa de Pós-Graduaçao em Educaçao Física. Defesa: Curitiba, 27/10/2010pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 50-55pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentraçao: Exercício e esportept_BR
dc.description.abstractResumo: Os níveis pressóricos elevados entre adolescentes e crianças têm sido associados com o excesso de peso e a obesidade abdominal. O objetivo deste trabalho foi avaliar a prevalência de níveis hipertensivos em crianças e adolescentes obesos e não-obesos, de 10 a 16 anos, de escolas públicas e privadas na cidade de Cianorte- PR. O estudo foi transversal e desenvolvido em 473 escolares (222 meninos e 251 meninas), selecionados por sorteio de quatro escolas (duas publicas e duas privadas), que apresentam as mesmas características letivas, com turmas de 5º a 8º séries, no período matutino, localizadas na zona urbana da regional da cidade e situadas na região de classe socioeconômica média alta. Avaliaram-se: massa corporal, estatura, circunferência abdominal, dobras cutâneas tricipital e perna medial, pressão arterial sistólica e diastólica. Adotaram-se os valores críticos de índice de massa corporal (IMC) nacionais como critério diagnostico para excesso de peso. Consideraram-se os percentis 75 para a classificação da circunferência abdominal e as dobras cutâneas através do percentual de gordura. A pressão arterial elevada refere-se aos valores da pressão arterial sistólica e/ou diastólica iguais ou acima do percentil 90 ou de 120x80 mmHg, para idade, gênero e percentil de estatura. O nível econômico foi avaliado de acordo com o critério brasileiro de classificação econômica (ABEP) e a atividade física com ecordatório de três dias (3DAPAR). Aplicou-se o teste t de Student para avaliar diferenças nas variáveis quantitativas, considerando p< 0,05. As médias de idade, massa corporal, índice de massa corporal, circunferência abdominal e pregas cutâneas foram semelhantes entre os meninos das escolas publicas e particular. Os meninos da escola pública demonstraram médias superiores de pressão arterial sistólica (p<0,05) em relação aos meninos da particular. As variáveis antropométricas foram semelhantes entre as meninas. No entanto, as meninas das escolas públicas apresentaram média de idade e pressões arteriais sistólicas e diastólicas mais elevadas do que as das escolas particulares (p<0,05). Os escolares da rede pública apresentaram maior proporção de níveis pressóricos elevados (32,70%) do que os das escolas particulares (20,30%; p=0,003). As meninas das escolas públicas (34,87%) apresentaram maior prevalência de medidas hipertensivas do que as das escolas privadas (16,16%). As proporções de medidas pressóricas elevadas foram maiores nas categorias de excesso de peso (39,8%) do que peso adequado (19,6%) para as meninas (p<0,001), permanecendo as mesmas alterações para os meninos com excesso de peso (34,8%) em relação ao peso adequado (23,1%; p<0,05). Em relação ao nível econômico, a proporção de escolares fisicamente ativos foram semelhantes entre as classes, tanto nas escolas particulares como úblicas, sem diferencas na frequencia de medidas hipertensivas. Os resultados deste estudo permitiram concluir que a adiposidade corporal total parece ser o melhor determinante do risco de elevação da pressão e que a falta de prática de atividade física regular parece não estar associada com os níveis pressóricos elevados nesta faixa etária.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: High pressure levels among teenagers and children have been associated with overweight and abdominal obesity. The aim of this work was to evaluate the prevalence of hypertensive levels in obese and non obese children and teenagers, from 10 to 16 years of age, from public and private schools in the city of Cianorte, Paraná, Brazil. The study was transversal and developed in 473 school children and teenages (222 boys and 251 girls), selected by assortment from four schools (two public and two private), which presented the same school characteristics, with 5th to 8th grade morning classes, localized in the urban area of the city and located in a medium high socioeconomical class. Body mass, height, abdominal circumference, triceps and medium leg skin folds, systolic and diastolic arterial pressures were evaluated. Critical values of national body mass index (BMI) were adopted as diagnostic criteria for overweight. For the classification of abdominal circumference 75 was the percentage considered and the skin folds by means of fat ercentage. High arterial pressure is considered values of systolic and/or diastolic arterial pressures equal or above 90 or 120/80 for age, gender and percentage of height. The economical level was evaluated according to the Brazilian criteria for economical classification (ABEP) and the physical activity with recordatory of 3 days (3DAPAR). Student’s t test was applied to evaluate differences in quantitative variables, considering p< 0,05. The averages of age, body mass, body mass index, abdominal circumfere ce and skin folds were similar among boys from public and private schools. Boys from public school showed higher average values of systolic arterial pressure (p< 0,05) when comparing to boys from private schools. Anthropometric variables were similar among girls. However, girls from public schools presented higher average ages and systolic and diastolic arterial pressure values (p< 0,05). Students from public schools presented a higher proportion of high pressure levels (32,70%) that the ones from private schools (20,30%; p=0,003). Girls from public schools (34,87%) presented higher prevalence of hypertensive values than the ones from private schools (16,16%). The proportions of high pressure values were higher in the category of overweight (39,8¨%), adequate weight (19,6%) for girls (p<0,001), remaining the same alterations for overweight (34,8%) and adequate weighted boys (23,1%; p< 0,05). Concerning economical levels, the proportion of physically active students were similar between private and public classes, with no difference in the frequency of hypertensive levels. Results from this study allowed us to conclude that total body fat seems to be the best determinant for high pressure risk and absence of physical activity practice seem to be unrelated to high pressure values.pt_BR
dc.format.extent84f. : il. [algumas color.], grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectHipertensao arterialpt_BR
dc.subjectObesidadept_BR
dc.subjectObesidade - Criançaspt_BR
dc.subjectPressão arterialpt_BR
dc.subjectEducação físicapt_BR
dc.titlePrevalência de medidas arteriais hipertensivas em escolares obesos e não obesos de Cianorte - PRpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record