Show simple item record

dc.contributor.advisorKeinert Jr., Sidon, 1951-pt_BR
dc.contributor.authorLara Palma, Hernando Alfonsopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-06-11T19:10:41Z
dc.date.available2013-06-11T19:10:41Z
dc.date.issued2013-06-11
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/24767
dc.description.abstractNeste estudo foi pesquisado um adesivo a base de tanino-formaldeido na manufatura de compensados de Pinus ellíottii Engel para uso externo. Os componentes do adesivo foram o tanino, extraído da casca de acácia negra (Ácacia mearnsíi De Wild), proveniente de p1antaçes do sul do Brasil e o formaldeído (para- formaldeido), importado. No adesivo foram testados dois valores de pH (4,6 e 7,0) e duas concentrações de paraformaldeído (5% e 9%); no processamento foram testadas duas porcentagens de umidade de lâmina (5% e 10%) e dois valores de quantidade de adesivo (320 g/m2 e 400 g/m2, por linha dupla de colagem). Estas quatro variáveis foram avaliadas segundo seus efeitos na resistencia do adesivo, utilizando 80 painêis de ensaio. Nos testes usaram-se os valores mínimos de resistência em cizalhamento, exigidos pela norma DIN e os valores mínimos de falha na madeira, exigidos pela norma PS 1-74, como únicos critérios para deter- minação da qualidade de resistência do adesivo. A análise estatística dos resultados revelou que 'o fator formaldeído, na con- centração de 9%, apresentou influência altamente significante na qualidade de resistência do adesivo. Os fatores pH, umidade de lâmina, quantidade de adesivo e o nível de 5% de formaldeído não tiveram significância. A caracterização do comportamento foi obtida pelos seguintes testes físico-mecânicos: flexão estática (Mõdulo de ruptura (MOR) e elasticidade (MOE), inchamento, recuperação em espessura, absorção de água, massa específica e teor de umidade. Os valores médios obtidos considerando todos os tratamentos, foram os seguintes: MOR= 54,00 N/rnm2 no sentido paralelo e 9,50 N/mm2 no sentido transversal; MOE = 6.340 N/nun2 no sentido paralelo e 774 N/nun2 no sentido transversal; inchamento em espessura = 8,31%; recuperação= 2,38% absorção de água = 63,5%; massa específica aparente = 0,555 g/crr e o teor -de umidade de lâmina = 10,86%. Estes resultados são semelhantes aos valores encontrados por outros pesquisadores em compensados de Pinus eliiottii de uso externo.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTaninopt_BR
dc.subjectPinus elliottiipt_BR
dc.subjectCompensados de madeirapt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleTanino-formaldeído como adesivo na manufatura de painéis compensados de Pinus elliottii Engelmpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record