Show simple item record

dc.contributor.advisorRenaux, Sigrid Paula Maria Lange Scherrer, 1938-pt_BR
dc.contributor.authorOrmianin, Maria Ascensión Jiménez Martinpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.date.accessioned2020-05-27T15:18:15Z
dc.date.available2020-05-27T15:18:15Z
dc.date.issued1983pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/24337
dc.descriptionOrientador: Sigrid Renauxpt_BR
dc.descriptionAutor não autorizou a divulgação do arquivo digitalpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes. Curso de Pós-Graduação em Letras. Defesa : Curitiba, 1983pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração : Literaturas de língua inglesapt_BR
dc.description.abstractAbstract : This study intends to examine the theme of infanticide in Eugene O'Neill's Desire Under the Elms and Strange Interlude, Tennessee Williams' Sweet Bird of Youth., Edward Albee's The American Dream and Who's Afraid of Virginia Woolf? and Sam Shepard's Buries Child. Through a textual approach, we shall examine all the plays, trying to give emphasis not only to each author's particular view of the theme of childmurder in different periods of literature, but also the recurrence in using mythological patterns that is apparent in these plays. In the introduction, after defining infanticide and stating our aim, we start with a review of the theme of infanticide in World Literature and Drama, from the Bible onwards to the twentieth century. We also take a look backwards in History to explain the deep relationship of infanticidwith ritual and myth. Chapter One: Desire Under the Elms deals with the first of Eugene O'Neill's plays that depicts the theme of infanticide. We see that the child who has been sacrificed serves as a scapegoat so that the characters involved in the crime can reach spiritual rebirth and thus find love. Chapter Two: In Strange Interlude abortion, presented as a variant of infanticide, leads the main character, through the scapegoat figure which the unborn child conveys, to project her aspirations into a better life. Chapter Three: Sweet Bird of Youth places the theme of infanticide in a different perspective for it is the only play in which, through castration, the main characters embody the scapegoat figure, facing failure and regret. Chapter Four: In The American Dream, although showing infanticide through a chaotic and absurd universe, Edward Albee also projects the murdered child as the mythological figure of the scapegoat. This figure will later reappear as a twin brother who then becomes a parody of the American Adam. Chapter Five: Who's Afraid of Virginia Woolf? is also concerned with the same theme and with the same archetypal figure of The American V fteam, though here the child is metaphorically created and killed. It is only after the destruction of the son that the parents are free from illusion and can face life together. Chapter Six: In Buried Child Sam Shepard moves back to the traditional theme of infanticide, showing that the drowned child functioned as a scapegoat so that the people in the house can free themselves from the sinful atmosphere which enveloped them for so many years. In the conclusion we show how the different aspects of the plays are brought together through a synchronical and diachronical comparison, and how the plays acquire a richer perspective if analysed not only through a textual approach but also through a mythological pattern. We finish by showving how the different playwrights are actually all striving to bring infanticide to light, not only to express its hideousness, but also as a means of allowing the characters to look for redemption.pt_BR
dc.description.abstractResumo : Este trabalho pretende examinar o tema do infanticídio em DesireUnder the Elms e Strange Interlude de E. O'Neill, Sweet Bird of Youth de T. Williams, The American Dream e Who's Afraid of Virginia Woolf? de E. Albee e Buried Child de S. Shepard. Através de uma abordagem textual, examinaremos todas as peças, tentando enfatizar não somente a visão particular de cada autor com relação ao tema do infanticídio nos diferentes períodos da literatura, mas também a recorrência no uso de modelos mitológicos aparente nas peças. Na Introdução, depois de definir o infanticídio e estabelecer nosso objetivo, iniciamos com um exame do tema do infanticídio na literatura mundial, desde a Bíblia até o século XX. Também nos voltamos à história para explicar a profunda relação existente do infanticídio com o ritual e o mito. Capítulo Primeiro: Desire Under the Elms é a primeira peça de E. O'Neill que mostra o tema do infanticídio. Vemos que a criança sacrificada serve de bode expiatório, a fim de que as personagens envolvidas no crime alcancem renascimento espiritual e dessa forma possam encontrar o amor. Capítulo Segundo: Em Strange Interlude, o aborto, apresentado como uma variante do infanticídio, conduz a personagem principal, através da figura do bode expiatório que o ser em formação representa, a projetar suas aspirações numa vida melhor. Capítulo Terceiro: Sweet Bird of a Youth coloca o tema do infanticídio numa perspectiva diferente, uma vez que é a única peça em que, por meio da castração, as próprias personagens incorporam a figura do bode expiatório e enfrentam o pesar e o fracasso. Capítulo Quarto: Em The American Dream apesar de mostrar o infanticídio através de um universo caótico e absurdo, E. Albee também projeta a criança assassinada como a figura mitológica do bode expiatório. Esta criança aparece mais tarde na pessoa de um irmão gêmeo que, por sua vez, representa a paródia do Adão americano. Capítulo Quinto: Who's Afraid of Virginia Wool? também diz respeito â mesma temática e ao mesmo arquétipo do The American Dream, sendo que aqui a criança é criada e assassinada de modo metafórico. Ë somente depois da destruição do filho que os pais se sentem livres de toda a ilusão e enfrentam a vida juntos. Capítulo Sexto: Em Buried Child, S. Shepard volta ao tema tradicional do infanticídio, mostrando que a criança afogada funcionou como bode expiatório para que as pessoas da casa se sentissem livres da atmosfera de pecado que as envolvera por tantos anos. Na Conclusão, demonstramos, através de uma comparação sincrónica e diacrônica, como os diferentes aspectos das peças podem ser aproximados e também como as peças adquirem uma uma perspectiva mais rica se analisadas não somente sob uma abordagem textual, mas usando modelos mitológicos. Terminamos mostrando como os diferentes escritores empenham-se em apresentar o infanticidio não somente como expressão do lado hediondo, mas também como meio de as personagens procurarem redenção.pt_BR
dc.format.extentx, 124 p.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectInfanticidio na literaturapt_BR
dc.subjectDramaturgos americanospt_BR
dc.subjectTeatro americano - História e críticapt_BR
dc.subjectTeatro americano (Tragedia) - História e críticapt_BR
dc.subjectDissertações - Letraspt_BR
dc.subjectCNPqpt_BR
dc.titleThe theme of infanticide in modern American dramapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record