Show simple item record

dc.contributor.advisorTomaselli, Ivanpt_BR
dc.contributor.authorAlberto, Mario Michaque Miguel, 1964-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-06-19T17:44:09Z
dc.date.available2013-06-19T17:44:09Z
dc.date.issued2013-06-19
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/2241
dc.description.abstractNo presente trabalho, foram elaboradas chapas de partículas estruturais de Pinus patula. Foram testadas seis geometrias de partículas pré-determinadas, referentes a três comprimentos(27.3mm, 49.6mm e 72.5mm) e duas espessuras(0.64mm s 0.34mm). As condicões de manufatura das chapas foram as seguintes: densidade nominais - 0.60 e 0.75g/cm³ , conteúdo de resina - 8%, tipo de resina - fenolformaldeído, conteúdo de parafina - 1%, umidade das particulas - 5%, tempo de fechamento da prensa - 35 segundos, temperatura de prensagem ­:800C, tempo de prensagem - 8 minutos e pressão - 40kg/cm². O experimento foi conduzido por uma análise fatorial de covariância para os fatores: comprimento das partículas, espessura das partículas e densidade da chapa. Os diferentes tratamentos foram avaliados através dos seguintes testes: Módulo de Elasticidade(MOE), Módulo de Ruptura(MOR), Ligação Interna(LI), Resistência ao Arrancamento de Parafuso(RAP), Absorção de Agua(AA), Inchamento em Espessura(IE) e Expansão Linear(EL). Todos os valores médios obtidos do MOE e do MaR foram superiores aos minimos exigidos pela norma comercial americana CS 236-36. As chapas produzidas, tiveram uma tendência de aumentarem os valores do MOE e do MOR, com o aumento do comprimento das partículas e redução da espessura, até uma razão de esbeltez de 120. Chapas com particulas de 72.5mm de comprimento, 0.34mm de espessura e 0.86g/cm³ de densidade, são recomendadas para a obtenção de altos valores do MOE e do MOR. No teste de LI, o aumento no comprimento das partículas e a redução na sua espessura causou valores baixos desta propriedade. Chapas com partículas de 27.3mm de comprimento, 0.64mm de espessura e 0.86g/cm3 de densidade, foram as melhores em termos da LI. Na resistência ao arrancamento de parafuso(RAP), houve uma tendência das partículas longas e espessas causarem valores altos da RAP. Mesmo assim na análise de covariância não houve nenhuma diferença significativa entre os valores médios do fator espessura. A AA e o IE, tiveram a tendência de reduzirem com a redução do comprimento e espessura das particulas. Um aumento na densidade das chapas, também causou uma redução na AA e IE. As chapas produzidas com partículas de 0.34mm de espessura e 0.86g/cm3 de densidade para AA e produzidas com partículas de 27.3 e 49.6 mm de comprimento para o IE, foram mais estáveis. A EL apresentou valores muito baixos dos mínimos exigidos pela norma americana CS 236-36. As chapas produzidas com partículas de 49.6mm ou 72.5mm de comprimento das partículas, 0.34mm de espessura e 0.69g/cm3 ou 0.86g/cm3 da densidade, foram as que apresentaram valores mínimos da ELpt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectChapa de madeira aglomeradapt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleEfeito da geometria das particulas e da densidade, sobre as propriedades de paineis estruturais "waferboards"pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record