Show simple item record

dc.contributor.authorAmbrozio, Carolina Ribeiropt_BR
dc.contributor.otherBolsanello, Maria Augustapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.date.accessioned2020-08-12T14:11:02Z
dc.date.available2020-08-12T14:11:02Z
dc.date.issued2009pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/21527
dc.descriptionOrientadora: Maria Augusta Bolsanellopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa: Curitiba, 26/08/2009pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografiapt_BR
dc.description.abstractResumo: A pesquisa investigou as concepções das mães sobre a sua participação na avaliação do desenvolvimento do filho, realizada pelo psicólogo, no atendimento de Estimulação Precoce. Baseou-se no modelo integral de intervenção na Estimulação Precoce, fundamentado na teoria ecológica de Bronfenbrenner. Caracterizou-se por uma investigação qualitativa e exploratória, na qual participaram sete mães de bebês com síndrome de Down, na faixa etária de zero a três anos, matriculados em programa de Estimulação Precoce de uma escola especial de Curitiba - Paraná. Após a análise dos dados, por meio de análise de conteúdo, foi possível constatar que as mães, antes de participarem da avaliação do desenvolvimento do filho, juntamente com o psicólogo: a) enfatizavam atrasos no desenvolvimento do filho, sobretudo na área motora e da impossibilidade deste realizar determinadas atividades; b) entravam poucas vezes na sala de atendimento e se limitavam a observar as atividades realizadas pelos profissionais da equipe; c) salientaram que gostariam de assistir com freqüência aos atendimentos; d) afirmaram nunca terem participado de avaliações do filho e nunca souberam como elas ocorreram ou os seus resultados; d) tinham pouco contato com o psicólogo, desconheciam a sua função no atendimento e achavam que este profissional restringia-se ao atendimento de pessoas com transtornos mentais. Após participarem da avaliação do desenvolvimento do filho, juntamente com o psicólogo, observou-se que as mães: a) ficaram surpresas com as habilidades do bebê para realizar as tarefas propostas pela escala de desenvolvimento; b) compreenderam melhor o desenvolvimento do bebê com síndrome de Down e ampliaram seu conceito de desenvolvimento; c) observaram mais atentamente os comportamentos do filho explicando detalhes sobre os pontos fortes e fracos no desenvolvimento do bebê; d) engajaram-se mais fortemente em fornecer atividades estimuladoras ao bebê em casa; e) motivaram a participação dos familiares nestas atividades; f) passaram a relacionar o papel do psicólogo na Estimulação Precoce com o desenvolvimento infantil de bebês. Os resultados sugerem que as concepções das mães acerca do desenvolvimento infantil do bebê com síndrome de Down podem ser alteradas a partir da sua participação na avaliação realizada pelo psicólogo, na Estimulação Precoce, levando-as a promover o desenvolvimento do filho. Sugere-se que as universidades invistam na formação de profissionais e fomentem pesquisas relacionadas à Atenção e Estimulação Precoce. A pesquisa revelou uma nova possibilidade de atuação do psicólogo, na perspectiva de um modelo integral de intervenção na Estimulação Precoce, com a plena participação e envolvimento familiar.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This research has investigated the mother's conceptions about their involvement in the evaluation of the development of their son, conducted by a psychologist, within an early intervention service. Like that based on model of integral intervention in early intervention, based on the ecological theory of Bronfenbrenner. It is also characterized as a qualitative and exploratory investigation, in which participated seven mothers of babies with Down's syndrome, aged between zero and three years, enrolled in an early intervention program in a special school of Curitiba, PR. After analyzing the data through content analysis, it was possible to notice that mothers, before participating in the evaluation of the development of their child, along with the psychologist: (a) emphasized delays in the development of the child, especially in the motor area and their impossibility of conducting certain tasks; (b) entered in the consultation room a few times and limited themselves to observing the activities conducted by the professional team; (c) emphasized that they would like to watch the consultations frequently; (d) affirmed that they had never participated in the evaluations of the child and never knew how they occurred or their results; (d) had little contact with the psychologist, and were unaware of his function in the care services and thought that this professional was restricted to the care of people with mental disorders. After participating in the evaluation of child development, along with the psychologist, it was observed that the mothers: (a) were surprised with the skills of the baby in accomplishing the tasks proposed in the development scale; (b) had a better comprehension regarding the development of the baby with Down's syndrome and amplied the concept of development; (c) observed the behavior of the child more attentively, explaining details about the strengths and weaknesses in the development of the baby; (d) were more strongly engaged in offering stimulating activities to the baby at home; (e) motivated the involvement of other family members in these activities; (f) began to relate the role of the psychologist in early intervention with the infant development of babies. The results suggest that the conceptions of mothers regarding the infant development of babies with Down's syndrome can be changed from their participation in the evaluation conducted by the psychologist, in early intervention, engaging her in the promotion of the development of the child. It is suggested that universities invest in the training of professionals and encourage research related to attention and early intervention. This research revealed a new possibility for the intervention of the psychologist, in the perspective of an integral model of intervention in early intervention, with the complete participation and involvement of the family.pt_BR
dc.format.extent146 f. : tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectDown, Síndrome dept_BR
dc.subjectEstimulação precoce (Educação)pt_BR
dc.subjectDesenvolvimento humanopt_BR
dc.subjectDesenvolvimento infantilpt_BR
dc.subjectDissertações - Educaçãopt_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.titleParticipação de mães na avaliação do desenvolvimento do bebê com Síndrome de Down, realizada pelo psicólogo, na estimulação precocept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record