Show simple item record

dc.contributor.advisorBolzón de Muñiz, Graciela Inéspt_BR
dc.contributor.authorNascimento, Marilzete Basso dopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.contributor.otherQueluz, Gilson Leandropt_BR
dc.date.accessioned2013-05-21T17:59:01Z
dc.date.available2013-05-21T17:59:01Z
dc.date.issued2013-05-21
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/20896
dc.description.abstractEsta pesquisa apresenta um estudo sobre o vime, desde a produção da matéria-prima até suas aplicações no artesanato, dentro de uma perspectiva de sustentabilidade social, econômica e ambiental. O lócus do trabalho foi o Planalto Catarinense, onde se concentra a maior produção de vime do Brasil. A região, de clima subtropical úmido, é a ideal para o cultivo das espécies de Salix destinadas ao artesanato. Foram analisadas quatro espécies, Salix viminalis, Salix purpurea, Salix x rubens e Salix spp (espécie sem identificação), oriundas de Unidades de Observação, supervisionadas pela Epagri. O trabalho trata de dois aspectos principais: a matéria-prima e o artesanato. Quanto à matéria-prima, procedeu-se iniciou-se com a avaliação comparativa das espécies feita por artesãos experientes no uso do vime, em seguida procedeu-se ao levantamento anatômico das quatro espécies, que seguiu as Normas de Procedimentos em Estudos de Anatomia de Madeira (Coradin e Muniz, 1991), juntamente com o levantamento dos elementos químicos presentes nas amostras, feito por meio de Microscopia de Varredura e EDX, a fim de determinar a presença de metais pesados e a possível utilização do material para fitorremediação. Os aspectos referentes à matéria-prima são completados com a classificação do vime quanto às espécies e aos sítios, por meio da Espectroscopia no Infravermelho Próximo (NIR). Quanto ao artesanato apresenta-se uma pesquisa qualitativa que incluiu três etapas: um Workshop envolvendo artesãos e designers; uma pesquisa realizada por intermédio de uma adaptação da metodologia Roadmaps, em Bom Retiro – SC, com produtores de vime, artesãos, autoridades regionais e designers; e uma pesquisa com os artesãos dos sete municípios produtores de vime do Planalto Catarinense. Para proceder-se ao estudo fez-se uso tanto de metodologias quantitativas quanto qualitativas, uma vez que parte do estudo referente à matéria-prima utilizou métodos quantitativos e estatísticos, enquanto os aspectos sociais referentes ao artesanato são melhor analisados através de métodos qualitativos, aqui incluídas a pesquisa participativa e a metodologia Road Maps. Os resultados referentes à matéria-prima indicam as espécies mais promissoras em relação ao uso esperado. Já a pesquisa relativa ao artesanato, apresenta as condições atuais de artesãos e agricultores, suas expectativas em relação ao futuro da atividade, os principais desafios e as sugestões para superá-los.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectArtesanatopt_BR
dc.subjectProdutos florestais não madeireirospt_BR
dc.subjectDesenvolvimento sustentávelpt_BR
dc.titleAspectos técnicos e sociais para a sustentabilidade da produção e artesanato do vimept_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record