Show simple item record

dc.contributor.advisorGalvão, Franklin, 1952-pt_BR
dc.contributor.authorPetean, Marise Pimpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.contributor.otherKersten, Rodrigo de Andradept_BR
dc.date.accessioned2013-05-22T16:17:06Z
dc.date.available2013-05-22T16:17:06Z
dc.date.issued2013-05-22
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/19681
dc.description.abstractO levantamento qualitativo e quantitativo dos epífitos vasculares foi realizado em uma área de um hectare em uma floresta Ombrófila Densa Submontana, em estágio médio de regeneração, na Reserva Natural do Morro da Mina (RNMM), unidade de conservação de domínio privado, situada no litoral paranaense, município de Antonina. A escolha dos forófitos foi baseada na estrutura diamétrica da comunidade arbórea de um hectare. Nesta parcela, foram selecionados 55 forófitos, representativos da estrutura da floresta.Para o levantamento da biomassa epifítica, na análise da distribuição e amostragem fitossociológica os forófitos foram divididos em cinco zonas ecológicas, das quais foram retirados, separados por espécie e pesados todos os indivíduos epifíticos existentes. No levantamento florístico foram registradas 159 espécies de epífitos vasculares distribuídas em 78 gêneros e 22 famílias.Dentre as famílias destacam-se Orchidaceae (61 espécies), Bromeliaceae (24 espécies), Polypodiaceae (14 espécies) e Araceae (11 espécies). A maioria das espécies foi classificada como holoepífita obrigatória. A região floristicamente mais semelhante à estudada foi a do Salto Morato, seguida da Ilha do Mel e Parque Estadual Carlos Botelho. A biomassa total da floresta estimada em 5.338,6 kg.ha-1. O número de espécies epífitas por forófito variou de duas a 79. O diâmetro dos forófitos apresentou uma alta correlação com a riqueza, cobertura e biomassa de epífitos. Os maiores valores de riqueza, diversidade e equidade foram encontrados sobre a copa extrema. As zonas ecológicas floristicamente mais semelhantes ente si foram fuste médio-alto e copa interna-externa. Dentre as espécies que apresentaram preferência por alguma zona, seis foram preferenciais por alguma região da copa e seis pelo fuste. Na amostragem fitossociológica foram calculados três valores de importância distintos, baseado somente em freqüências (VIF), baseado em freqüência e cobertura (VIC) e baseado em freqüência e biomassa (VIB) das espécies. A avaliação dos métodos foi realizada pela observação dos índices fitossociológicos e comparação entre a ordenação das espécies epifíticas quanto aos três valores de importância. Foram registradas 138 espécies de epífitos vasculares, com índice de Shannon de 4,54 e a equidade de 0,92. As espécies mais importantes foram Hetreposis rigidifolia e Philodendron corcovadense, ambas ocorrendo em menos de 40% dos forófitos, e as mais freqüentes foram Monstera adansonii, Vriesea carinata e Microgramma vaccinifolia. As espécies com maior biomassa foram Hetreposis rigidifolia e Philodendron corcovadense. Analisando a posição das espécies epifíticas quanto aos valores de importância, tomando como referência o VIB, a maior alteração foi verificada em relação ao VIF, com espécies variando em até 60 posições na tabela; enquanto para o VIC a menor variação foi de 11 posições na tabela, sendo, portanto, a variável mais apropriada para o cálculo dos parâmetros fitossociológicos da comunidade epifítica.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectBiomassa - Araucária (PR)pt_BR
dc.subjectBiomassa vegetal - Modelos matematicospt_BR
dc.titleAs epífitas vasculares em uma área de floresta Ombrófila Densa em Antonina, Prpt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record