Show simple item record

dc.contributor.advisorFiladelfi, Ana Maria Calimanpt_BR
dc.contributor.authorSienna, Carolinept_BR
dc.contributor.otherSantos, Cid Aimbiré de Moraes, 1956-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecularpt_BR
dc.date.accessioned2018-04-20T20:22:04Z
dc.date.available2018-04-20T20:22:04Z
dc.date.issued2008pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/18099
dc.descriptionOrientadora : Ana Maria Caliman Filadelfipt_BR
dc.descriptionCo-orientador : Cid Aimbiré de Moraes Santospt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Defesa: Curitiba, 02/09/2008pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografiapt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração : Fisiologiapt_BR
dc.description.abstractAs cascas de Rauwolfia sellowii, Apocynaceae, conhecida como &quot;paupara- tudo", tem uso na medicina popular no tratamento de diabetes e colesterol, além de o extrato de suas raízes ser comercializado como anti-hipertensivo. Estudos químicos do gênero Rauwolfia demonstraram que este é rico em alcalóides indólicos bioativos, alguns dos quais já tendo sido identificados. Diversos alcalóides apresentam atividade anti-tumoral e efeitos sobre células pigmentares. O objetivo deste trabalho foi caracterizar os efeitos do extrato das cascas de R. sellowii (ECRs) e de suas frações sobre a viabilidade celular e o conteúdo de melanina de células de melanoma murino (B16F10), visando indicar futuros agentes terapêuticos contra patologias pigmentares, como por exemplo, o melanoma. A partir do ECRs foi preparada a fração rica em alcalóides (FRA), a qual foi fracionada em coluna cromatográfica a vácuo obtendo-se: a fração metanólica (FMeOH), a fração aquosa (FAQ) e o composto isolado de R. sellowii (Rs-1). No ensaio de viabilidade celular as células foram diluídas em azul de Trypan e contadas em hemocitômetro. O conteúdo de melanina foi determinado utilizando-se de uma curva-padrão confeccionada a partir de concentrações conhecidas de melanina sintética; a absorbância das amostras foi determinada em espectrofotômetro, a 490 nm. A incubação com os extrato/frações/composto teve duração de 24 h. Os resultados demonstraram que o ECRs, a FRA e a FMeOH reduziram significativamente a viabilidade das células de melanoma murino, nas concentrações de 0,1 a 10 mg/mL (p<0,001). A FMeOH também reduziu significativamente a viabilidade celular nas concentrações de 50 e 100 µg/mL (p<0,001). A FRA na concentração de 10 mg/mL e a FMeOH em todas as concentrações testadas também aumentaram significativamente o conteúdo de melanina das células B16F10 após o tratamento (p<0,001). Em conclusão, o ECRs, a FRA e a FMeOH mostraram-se citotóxicos e, as duas últimas frações, hipermelanogênicas sobre as células, sugerindo que os alcalóides presentes no extrato e/ou nas frações das cascas de R. sellowii podem ser as substâncias responsáveis pelos efeitos biológicos aqui observados e que os mesmos alcalóides apresentariam potencial na terapêutica do melanoma.pt_BR
dc.description.abstractBarks of Rauwolfia sellowii, Apocynaceae, a plant popularly known as &quot;pau-para-tudo" are commonly used in folk medicine for the treatment of diabetes mellitus and high plasma cholesterol. Root extracts have also been commercialized for their antihypertensive properties. Chemical studies have identified several bioactive indole alkaloids in species of the genus Rauwolfia, reported to have activity against cancer and pigment cells. The aim of this work was to characterize the effects of bark extract of R. sellowii (BERs) and its fractions on cellular viability and melanin content of mouse melanoma cells (B16F10). The long-term goal was to obtain new therapeutic agents that can be used against pigmentation disorders such as, for example, melanomas. BERs were used to prepare an alkaloid rich fraction (AlkF), which was fractionated using a vacuum cromatography column. Several fractions were thus obtained: a methanolic fraction (MeOHF), an aqueous fraction (AqF), and the isolated compound of R. sellowii (Rs-1). Cellular viability was quantified using a cell counter in the presence of Trypan Blue. Melanin content was determined using a standard curve with known concentrations of synthetic melanin; absorbance of the samples was determined in a spectrophometer at 490 nm. The period of treatment with the extract/fractions/compound was 24 h. The results showed significant decrease in B16F10 cell viability by 0.1 – 10 mg/mL BERs, AlkF and MeOHF (p<0.001). The MeOHF showed significant decrease in cell viability by 50 and 100 µg/mL (p<0,001). The 10 mg/mL dose of AlkF and all doses of MeOHF fractions also induced a significant increase in the melanin content of treated B16F10 cells (p<0.001). In conclusion, BERs, AlkF, and MeOHF showed cytotoxic effects, and AlkF and MeOHF, hypermelanogenic effects on cells, suggesting that the alkaloids in the extract and/or in the fractions from bark of R. selowii may be inducing the biological effects observed and may be considered as promising candidates for the treatment of melanoma.pt_BR
dc.format.extentxii, 66f. : il., grafs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectRaulvolfiapt_BR
dc.subjectApocinaceaspt_BR
dc.subjectMelanomapt_BR
dc.subjectTumorespt_BR
dc.subjectCitologia e biologia celularpt_BR
dc.subjectBiologia molecularpt_BR
dc.titleEfeitos do extrato das cascas de Rauwolfia sellowii Müll Arg. e suas frações sobre a viabilidade e a melanogênese em células de melanoma murino B16F10pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record