Show simple item record

dc.contributor.advisorBatista, Daniela Biondipt_BR
dc.contributor.authorGrise, Mayssa Mascarenhaspt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.contributor.otherLingnau, Christelpt_BR
dc.date.accessioned2013-06-28T18:13:09Z
dc.date.available2013-06-28T18:13:09Z
dc.date.issued2013-06-28
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/17138
dc.description.abstractA elevada taxa de extinções de espécies no Planeta deve-se principalmente à perda, fragmentação e degradação de hábitats naturais. A melhor maneira de se evitar a extinção de espécies é a preservação in situ, que se faz pela proteção de áreas naturais. O Estado do Paraná possui a maior área contínua de remanescente de Floresta Atlântica do país, bioma este entre os mais ameaçados do mundo. Esta área abrange o litoral norte do Estado e compreende uma série de unidades de conservação de diferentes categorias, sendo a Área de Proteção Ambiental de Guaraqueçaba a de maior extensão englobando as demais. Essa sobreposição de áreas protegidas é prevista no Sistema Nacional de Unidades de conservação - SNUC, o qual regulamenta e institui as áreas naturais protegidas no Brasil, e tem a finalidade de formar uma rede de unidades que se comuniquem e interajam. O presente trabalho teve como objetivo analisar a estrutura da paisagem, matriz e fragmentos, das unidades de conservação que ocorrem na área da APA, a fim de verificar a funcionalidade do mosaico. A partir da classificação supervisionada por máxima verossimilhança da imagem digital Landsat 5 TM, foi feita a classificação da cobertura do solo da área e definidos os atributos de área e perímetro dos polígonos obtidos. Feita a análise da estrutura da paisagem, constatou-se que as UCs se comunicam por meio de uma matriz de vegetação nativa, comum a todas as unidades, interrompida pela presença de fragmentos. Cerca de 21% da área de estudo são formados por fragmentos, os quais pertencem às classes de vegetação alterada, solo descoberto, áreas urbanizadas, areia e água; em grande parte possuem menos de um hectare e têm forma regular. As UCs possuem a mesma classe de cobertura do solo com vegetação nativa, que também representa a matriz do mosaico analisado. As categorias de manejo dessas áreas condizem com os objetivos citados nos Decretos de criação de cada UC. Quanto às zonas de amortecimento das UCs de proteção integral, essas não estão totalmente inseridas dentro dos limites das APAs Federal e Estadual de Guaraqueçaba, sendo que parte das zonas de amortecimento é formada por áreas marinhas. Conclui-se que, quando observadas em conjunto, cada UC contribui para a conservação da paisagem local da área, formando um mosaico funcional de áreas naturais protegidas segundo os fundamentos da estrutura da paisagem e da legislação do mosaicopt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectÁreas protegidas - Paranápt_BR
dc.subjectPaisagem - Proteção - Paranápt_BR
dc.subjectÁreas de conservação de recursos naturais - Paranápt_BR
dc.titleA estrutura da paisagem do mosaico de unidades de conservaçao do litoral norte do Paranápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record