Show simple item record

dc.contributor.advisorSouza, Jorge Luiz Moretti dept_BR
dc.contributor.authorAraujo, Marla Alessandra dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencia do Solopt_BR
dc.date.accessioned2012-04-19T17:45:25Z
dc.date.available2012-04-19T17:45:25Z
dc.date.issued2012-04-19
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/16820
dc.description.abstractA cultura da soja (Glycine max (L.) Merrill) é altamente exigente quanto ao suprimento adequado de suas necessidades fisiológicas. Um pequeno déficit hídrico ou carência nutricional, de acordo com o estádio de desenvolvimento, pode comprometer diretamente a produção final. O presente estudo teve por objetivo avaliar o desempenho de modelos simplificados e agrometeorológicos na estimativa da produtividade da cultura da soja, sob quatro sistemas de manejo (plantio direto, plantio convencional, preparo mínimo e plantio direto escarificado a cada três anos ), na região de Ponta Grossa, Estado do Paraná, visando previsão e planejamento de safras. O clima da região de Ponta Grossa é classificado como Cfb, segundo classificação de Köppen, e o solo da área experimental tratava-se de um solo corresponde a um Latossolo Vermelho distrófico típico (Typic Hapludox). Os dados reais de produtividade da cultura da soja foram disponibilizados pela Fundação ABC e totalizaram 11 ciclos produtivos, registrados entre os anos de 1989 a 2007. Os valores diários dos componentes do balanço hídrico foram determinados com o auxílio de um programa desenvolvido especialmente para esta finalidade. Os dados climáticos diários necessários foram disponibilizados pelo Instituto Meteorológico do Paraná (SIMEPAR). A evapotranspiração de referência foi estimada a partir do método de Penman-Monteith, parametrizado pela FAO. As análises foram realizadas no Laboratório de Física do Solo e Laboratório de Modelagem de Sistemas Agrícolas/DSEA/SCA/UFPR. O ajuste dos coeficientes e fatores dos modelos agrometeorológicos foi realizado com o método dos mínimos quadrados, em análises de regressão simples ou múltipla. Verificou-se que os sistemas de manejo não proporcionaram diferença significativa nos valores de capacidade de água disponível no solo, nem nas produtividades reais registradas nas 11 safras estudadas. A maioria dos subperíodos dos estádios fenológicos registrou déficit (79,5% ) e excedente (85,8%) hídrico para os quatro sistemas de manejo. Foram realizadas inúmeras tentativas de análise envolvendo a relação entre produtividade real com dados climáticos ou produtividade estimada com o auxílio de modelos. Tentou-se ajuste com modelos simplificados e modelos agrometeorológicos, utilizando coeficientes e fatores obtidos na bibliografia ou ajustados estatisticamente. As melhores análises de regressão foram obtidas quando se considerou a disposição temporal das produtividades reais das 11 safras da cultura da soja em dois grupos, denominados "Ano 1" e "Ano 2", em função da rotação de culturas na região. Os modelos STEWART, HAGAN e PRUITT (1976) proposto por DOORENBOS e KASSAN (1979) e JENSEN (1968), utilizando coeficientes e fatores ajustados estatisticamente, apresentaram coeficientes de determinação iguais a: 0,7469 e 0,7387 , respectivamente, para as estimativas da produtividade das safras "Ano 1"; e 0,8127 e 0,7802, respectivamente, para as estimativas das safras "Ano 2". O ajuste dos coeficientes e fatores mostrou-se importante para a obtenção de estimativas de produtividade mais precisas por meio de modelos agrometeorológicospt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectSoja - Efeito da umidade do solo - Ponta Grossa(PR)pt_BR
dc.subjectClimatologia agrícola - Ponta Grossa (PR)pt_BR
dc.titleModelos agrometeorológicos na estimativa da produtividade da cultura da soja na regiao de Ponta Grossa - Paranápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record