Show simple item record

dc.contributor.advisorLouzada, Fernando Mazzillipt_BR
dc.contributor.authorSilva, Adeline Gisele Teixeira dapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecularpt_BR
dc.date.accessioned2018-04-20T20:12:54Z
dc.date.available2018-04-20T20:12:54Z
dc.date.issued2008pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/16193
dc.descriptionOrientador: Fernando Mazzilli Louzadapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Defesa: Curitiba, 2008pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografia e anexospt_BR
dc.description.abstractO ciclo claro/escuro é o mais potente sincronizador circadiano para a espécie humana. Alterações nos estímulos fóticos são capazes de promover modificações na expressão dos ritmos biológicos. A exposição à luz natural no início da manhã pode promover um avanço de fase nos ritmos circadianos. O objetivo do estudo foi avaliar o efeito da exposição à luz solar nas primeiras horas da manhã no início do ano letivo sobre o ciclo vigília/sono (CVS), a sonolência diurna e o desempenho psicomotor de adolescentes. O presente estudo foi realizado com estudantes do turno matutino de uma escola pública da cidade de Curitiba - PR. Para isso, foram formados dois grupos: o experimental, com 15 adolescentes que assistiram à primeira aula sob luminosidade de 981,6 lx, em média, medida com o sensor de luminosidade de punho, com duração de 50 minutos, ao ar livre durante a semana de intervenção, de segunda a sexta-feira, com o objetivo de aumentar a exposição à luz; e o controle, com 13 adolescentes que continuaram a assistir aula dentro da sala expostos a 109,5 lx, em média. Os adolescentes foram avaliados em três etapas: antes, imediatamente após e 12 semanas após a intervenção. Em cada etapa, os dados do CVS foram coletados através do diário de sono durante uma semana; a avaliação subjetiva da sonolência, feita através da Escala de sonolência de Karolinska (KSS) e a avaliação do desempenho psicomotor, através do Teste de Vigilância Psicomotora (PVT), foram realizadas de segunda a sexta-feira, às 8h e às 11h. Os resultados mostraram que a exposição à luz pela manhã não promoveu avanço de fase no CVS, não diminuiu a sonolência diurna e não melhorou o desempenho psicomotor dos adolescentes. O aumento da exposição luminosa no grupo experimental não foi suficiente para promover um ajuste aos horários escolares maior do que o observado no grupo controle, provavelmente devido ao fato de ambos os grupos terem sido expostos à luz natural antes do início das aulas. Este resultado sugere que o aumento da estimulação luminosa pela manhã nas condições climáticas do estudo não acelera o ajuste aos horários escolares e não seria uma alternativa para diminuir a privação de sono dos estudantes do turno matutino.pt_BR
dc.format.extent99f. : grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectAdolescentespt_BR
dc.subjectCitologia e biologia celularpt_BR
dc.subjectBiologia molecularpt_BR
dc.titleAvaliação do efeito da exposição da luz natural no início da manhã sobre o ciclo vigília/sono, a sonolência diurna e o desempenho psicomotor de adolescentespt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record