Show simple item record

dc.contributor.advisorMachado, Sebastião do Amaral, 1939-pt_BR
dc.contributor.authorUrbano, Edilsonpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.contributor.otherFigueiredo Filho, Afonso, 1951-pt_BR
dc.contributor.otherKoehler, Henrique Soares, 1953-pt_BR
dc.date.accessioned2013-06-13T19:19:38Z
dc.date.available2013-06-13T19:19:38Z
dc.date.issued2013-06-13
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/10396
dc.description.abstractA presente pesquisa teve como objetivo quantificar e modelar a biomassa aérea e a quantidade de carbono fixado em bracatinga de povoamentos nativos da região metropolitana de Curitiba. Os dados compõem-se de 194 árvores coletadas em bracatingais de diversos municípios. Nessas árvores foram medidas as variáveis; altura total, altura de copa, altura do fuste, diâmetro à altura do peito (DAP) e o diâmetro da copa. Cada árvore amostra foi derrubada e dividida nos componentes fuste, galhos com diâmetro maiores ou igual a 4 cm, galhos com diâmetro menor do que 4 cm e folhas. O peso verde de cada componente foi obtido in loco. Amostras de cada componente verde foram coletadas, pesadas e trazidas para secagem em estufa até peso seco constante. Posteriormente foi obtido o peso seco de cada componente por extrapolação dos pesos das amostras. Amostras de cada componente de 55 árvores foram moídas para determinação do teor de carbono. O peso dos fustes, dentre os pesos dos demais componentes, tem maior representabilidade e menor coeficiente de variação, com uma média de 69,85% do peso total das árvores e com um coeficiente de variação de 17,88%. Os componentes que formam a copa correspondem em média a 30,15% do peso total das árvores com valores de coeficiente de variação altos. O DAP é a variável que apresenta melhor correlação com os pesos secos e pesos de carbono. A média do teor de matéria seca do componente folha dado em porcentagem é estatisticamente igual à do componente casca, porém difere dos teores dos demais componentes das árvores. Os teores médios dos demais componentes, incluindo a casca, são estatisticamente iguais entre si. Não há diferença significativa no teor médio de carbono entre as classes de idade, e entre as classes de diâmetros de todos os componentes analisados, ou seja, as médias dos teores de carbono são estatisticamente iguais. O DAP, a altura total e a altura do fuste foram as variáveis independentes mais adequadas para compor as equações estimativas dos pesos secos e de carbono para os componentes lenha, fuste e total. As equações ajustadas para estimar o peso da biomassa e o peso de carbono para os componentes fuste, lenha e para a árvore toda apresentaram R2 sempre acima de 0,90 e Syx entre 20 e 25 %. As equações ajustadas para estimar o peso seco e o peso de carbono folhagem e dos galhos não apresentaram resultados satisfatórios, com erros altos e coeficientes de determinação baixos. As equações ajustadas são importantes ferramentas para que a bracatinga possa participar do mercado de créditos de carbono.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEngenharia Florestal - Tesespt_BR
dc.subjectManejo florestal - Tesespt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectBracatinga - Curitiba, Região Metropolitana de (PR)pt_BR
dc.subjectBiomassa vegetal - Curitiba, Região Metropolitana de (PR)pt_BR
dc.subjectCiclo de carbono (Biogeoquimica) - Curitiba, Região Metropolitana de (PR)pt_BR
dc.titleQuantificação e estimativa da biomassa aérea e do carbono fixado em árvores de bracatingais nativos da região metropolitana de Curitibapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record