Show simple item record

dc.contributor.advisorBolzón de Muñiz, Graciela Inéspt_BR
dc.contributor.authorCruz, Clair Rogério dapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.contributor.otherLima, José Tarcísiopt_BR
dc.date.accessioned2013-05-21T17:36:56Z
dc.date.available2013-05-21T17:36:56Z
dc.date.issued2013-05-21
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/10297
dc.description.abstractO controle do processo de secagem da madeira de Eucalyptus, assim como de outras espécies com maior propensão a defeitos, requer um controle eficiente da umidade da madeira, buscando minimizar a ocorrência de defeitos. Dessa maneira, foi utilizado neste trabalho um temporizador de ondas de tensão (Stress Wave Timer) com o objetivo de verificar o comportamento da umidade de tábuas a partir da variação da velocidade de propagação de ondas de tensão na madeira de nove materiais genéticos de Eucalyptus e definir o melhor ponto de amostragem na tábua. Foi também analisada a influencia de defeitos naturais, da densidade básica e dos componentes anatômicos na velocidade de propagação dessas ondas. As ondas de tensão foram aplicadas longitudinalmente em 180 tábuas medindo 110 x 10 x 1,2 cm e em 5 pontos na largura das tabuas. Foram determinados a área de nós, a área de quino, o angulo da grã e a densidade básica para cada uma das tábuas. Em cada um dos cinco pontos da tabua foi determinado o comprimento das fibras, a espessura das paredes das fibras, o diâmetro de poros, freqüência de vasos e a velocidade de propagação das ondas de tensão. Para atingir esses objetivos foram realizadas analises de variância, médias e as correlações das características da madeira. Além disso, foram feitos ajustes de equações. Com essas analises verificou-se que a umidade das madeiras pode ser estimada pelo método de propagação das ondas de tensão na madeira através de modelos não-lineares ou ainda por um modelo linear múltiplo utilizando a velocidade de propagação das ondas, a densidade básica e a área de nós como variáveis independentes. Os melhores ajustes foram obtidos para tabuas livres de defeitos visíveis. A velocidade de propagação das ondas de tensão na madeira pode variar em função da área de nós nas tabuas, do ângulo da grã, da densidade da madeira e da orientação anatômica das tábuas. Os nós exercem maior influência no deslocamento das ondas quando presentes em tabuas radiais. Os componentes anatômicos não possibilitaram explicar o comportamento das ondas de tensão nas madeiraspt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectEngenharia florestalpt_BR
dc.subjectEucaliptopt_BR
dc.subjectOndas - Tensãopt_BR
dc.subjectEmissão acusticapt_BR
dc.subjectMadeirapt_BR
dc.subjectEfeito da umidadept_BR
dc.titleAplicação de ondas de tensão para a estimativa da umidade em madeira de Eucalyptuspt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record