Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorRocha, Márcio Pereira da, 1965-pt_BR
dc.contributor.authorSouza, Regis Moraes dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Curso de Engenharia Industrial Madeireirapt_BR
dc.date.accessioned2017-03-20T20:46:21Z
dc.date.available2017-03-20T20:46:21Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/45645
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Márcio Pereira da Rochapt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Curso de Engenharia Industrial Madeireira.pt_BR
dc.description.abstractResumo: Este trabalho tem como objetivo contribuir com subsídios técnicos para a melhoria do desempenho de serrarias de eucalipto de pequeno porte através da análise de seu rendimento em madeira serrada, eficiência operacional e amostragem de trabalho. O rendimento foi obtido pela quantificação do volume de toras desdobradas na serraria por período e pela produção de madeira serrada no mesmo período, sendo analisadas as linhas principal e secundária (reaproveitamento), chegando ao valor de 44,17% de rendimento em madeira serrada. O valor encontrado foi baixo, o que pode ser melhorado através de ações corretivas na parte operacional e de equipamento, pois a matéria prima que influi negativamente também, não tem possibilidade de ser alterada. O rendimento da linha principal foi analisado quanto aos pedidos praticados na serraria, chegando a conclusão que o rendimento aumenta de acordo com o aumento da dimensão das peças dos pedidos, e que entre dois pedidos com peças de dimensões similares, o rendimento diminui com a variedade de peças; também analisou-se o rendimento da serraria por dia da semana trabalhado, podendo afirmar que no geral ele diminui ao longo da semana. A eficiência operacional foi determinada pelo volume das toras processadas em um turno e o número de funcionários presentes neste mesmo turno. Os resultados também foram baixos, com média de 3,93 m³/funcionário/dia, o qual se deve a problemas de equipamento parado devido a quebra, manutenção e remanutenção, e operação não satisfatória. A cronoamostragem foi realizada para os funcionários, serra fita, serra circular e serra circular múltipla, dividindo os tempos em trabalho produtivo e tempo perdido. Os funcionários tiveram um resultado satisfatório, com uma média de 81% de trabalho produtivo. A serra fita, na amostragem por tora, teve 32% de trabalho produtivo, a serra circular obteve 38% de trabalho produtivo e a serra circular múltipla 63%, todos resultados baixos, predominando as atividades não produtivas, principalmente as de manuseio das toras e peças, o que é explicado pelo resultado melhor da serra múltipla, na qual as peças a serem resserradas possuem menores dimensões.pt_BR
dc.format.extent85 f. : il. color., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.subjectEucaliptopt_BR
dc.subjectMadeira serradapt_BR
dc.subjectToras de madeirapt_BR
dc.subjectProcessamento da madeirapt_BR
dc.subjectSerrarias - Produtividade do trabalhopt_BR
dc.subjectAdministração da produçãopt_BR
dc.titleDiagnóstico de uma serraria de pequeno porte de Eucalyptus spp. no estado do Mato Grosso Sulpt_BR
dc.typeMonografia Graduação Digitalpt_BR


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples