Show simple item record

dc.contributor.authorMassardo, Sara Blunkpt_BR
dc.contributor.otherLepienski, Carlos Mauricio, 1954-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia de Materiais e Processospt_BR
dc.date.accessioned2011-09-26T11:00:34Z
dc.date.available2011-09-26T11:00:34Z
dc.date.issued2011-09-26
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26148
dc.description.abstractResumo: Vitrocerâmicas são obtidas a partir da cristalização controlada de vidros e apresentam características diferentes do vidro original. Neste trabalho são apresentados estudos de propriedades mecânicas e processos de fratura em materiais vítreos e vitrocerâmicos de dissilicato de lítio (Li2O-SiO2), obtidos pelo emprego de ensaios mecânicos de nanoindentação. As temperaturas utilizadas nos tratamentos térmicos foram de 454 °C e 610 °C para nucleação e crescimento de cristais respectivamente. As propriedades mecânicas das vitrocerâmicas apresentaram variação em relação à fração cristalina superficial. A dureza e o módulo elástico foram obtidos por nanoindentação utilizando um penetrador do tipo Berkovich. O vidro LS2 apresentou dureza e módulo elástico de 5,8 ± 0,5 GPa e 78 ± 2 GPa respectivamente. E a vitrocerâmica totalmente cristalina apresentou dureza de 8,0 ± 0,6 GPa e módulo elástico de 83 ± 6 GPa. A tenacidade a fratura e os processos de fratura foram analisados por nanoindentação utilizando duas pontas com geometrias diferentes: Canto de cubo e um penetrador com quatro faces, cujo ângulo formado entre o eixo da pirâmide com as faces é igual ao ângulo da ponta Canto de Cubo. O método das trincas radiais foi utilizado para o cálculo da tenacidade a fratura e dois modelos foram empregados: Lawn e Niihara. Foi verificado um aumento no valor da tenacidade à fratura em relação à fração cristalina utilizando a ponta Canto de Cubo e o modelo desenvolvido por Lawn. O vidro LS2 e a vitrocerâmica totalmente cristalina apresentaram tenacidade a fratura de 0,5 ± 0,1 MPa.m1/2 e 1,6 ± 0,4 MPa.m1/2 respectivamente. Foi possível calcular a tenacidade a fratura apenas do vidro LS2 e da vitrocerâmica parcialmente cristalina devido a distribuição de tensões durante o teste de nanoindentação pela ponta de quatro faces. Os valores da tenacidade à fratura para o vidro LS2 encontrados utilizando a ponta de quatro faces e os modelos de Lawn e Niihara foram de 0,78 ± 0,1 MPa.m1/2 e 0,80 ± 0,1 MPa. m1/2. E a vitrocerâmica parcialmente cristalina apresentou tenacidade à fratura de 0,76 ± 0,1 MPa.m1/2 para os dois modelos utilizados.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleNanoindentação em vitrocerâmicas de dissilicato de Lítio-Fractografia e propriedades mecânicaspt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record